Publicidade

Estado de Minas

Mineira assassinada na Bahia pode ter sido vítima de feminicídio

Polícia confirmou nesta quarta-feira que a vítima foi morta com requintes de crueldade. Suspeitos do crime ainda não foram localizados


postado em 18/09/2019 19:41 / atualizado em 18/09/2019 19:54

Larissa Silva França, de 29 anos, estava desaparecida desde 2 de setembro(foto: Reprodução/redes sociais)
Larissa Silva França, de 29 anos, estava desaparecida desde 2 de setembro (foto: Reprodução/redes sociais)

A jovem Larissa Silva França, de 29 anos, foi morta com crueldade, com indícios de que foi vítima de feminicídio. É que apontam as investigações sobre o crime, como apurou o Estado de Minas. Natural de Montes Claros, do Norte de Minas, Larissa foi assassinada na região de Vitória da Conquista, no interior da Bahia. O corpo foi sepultado no final da manhã de terça-feira, no Cemitério Parque dos Montes.

Larissa França tornou-se conhecida em Montes Claros por gravar vídeos exibidos em alguns sites na internet. Ela também já fez apresentações em uma casa noturna da cidade. Há algum tempo, estava morando em um hotel em Vitória da Conquista. Como revelou o Estado de Minas, na tarde da última sexta, a delegacia de Polícia Civil de Planalto, no Sudoeste da Bahia, confirmou que o corpo de uma mulher encontrado na zona rural do município era o da jovem mineira. O assassinato foi cercado de mistério, sem pistas sobre o autor e o motivo do crime.

Em 2 de setembro, Larissa estava sendo aguardada pela família em Montes Claros, mas não apareceu. Desde aquela data, não postou nada nas redes sociais. Na semana passada, os parentes da jovem decidiram se deslocar até Vitória da Conquista à procura da moça, que foi dada como desaparecida.

No dia 5, foi encontrado um corpo de uma mulher à beira da uma estrada vicinal, perto da comunidade de Lucaia, no município de Planalto, que fica a 70 quilômetros de Vitória da Conquista. No entanto, não foi feita a identificação imediata, pois o corpo estava em estado avançado de decomposição, apresentando marcas de várias facadas. Foram necessários exames periciais pelo Instituto Medico Legal (IML).

Na sexta-feira passada, a família confirmou junto ao IML que o corpo era o da jovem mineira, sendo iniciada a apuração sobre o crime  As investigações são conduzidas em sigilo. O inquérito é presidido pelo delegado Sérgio Fabiano de Carvalho, da comarca de Planalto (distante 485 quilômetros de Salvador), que já ouviu várias pessoas.

Apesar do sigilo nas investigações o Estado de Minas apurou que o laudo pericial, emitido pela Policia Técnica da Bahia, revela que o corpo foi encontrado com as pernas separadas e sem um antebraço. De acordo uma fonte, é investigada a suspeita de que Larissa foi vítima de feminicídio. O motivo do assassinato seria a recusa da vítima em continuar um relacionamento.

Larissa teria sido vista pela última vez ao deixar o hotel em Vitória da Conquista para um encontro. Também é investigada a possibilidade de ela ter sido assassinada em Vitoria da Conquista- em seguida, o corpo teria sido levado para a zona rural de Planalto. Uma irmã de Larissa França  informou que a jovem não tinha inimigos. Ela informou que a família está acompanhando a apuração do crime.


Publicidade