Publicidade

Estado de Minas

Idosos e crianças de projetos sociais vivem dia de magia no Circo dos Sonhos

A convite do Servas, 600 pessoas assistiram ao espetáculo 'Alakazan - A Fábrica Mágica'. 'Estou maravilhada, adorando mesmo', comentou Vera Maria de Souza, de 69 anos, que como boa parte do público nunca tinha ido a esse tipo de apresentação


postado em 14/08/2019 06:00 / atualizado em 14/08/2019 07:59

Estreantes e amantes de longa data da arte do picadeiro assistiram ao espetáculo Alakazan, no Circo dos Sonhos, com transporte, alimentação e entrada gratuitos(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Estreantes e amantes de longa data da arte do picadeiro assistiram ao espetáculo Alakazan, no Circo dos Sonhos, com transporte, alimentação e entrada gratuitos (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)


Os olhos do menino brilharam ao ver o palhaço pela primeira vez, as mãos da menina explodiram em palmas ao som da música ritmada, enquanto as lembranças da aniversariante do dia viajaram a outros tempos. Na tarde de ontem, Lysa, de 9 anos, Saymom, de 7, e Maria Angelina, completando 98, fizeram um programa para ficar na memória: uma tarde no Circo dos Sonhos, cuja “lona” está montada na Avenida Raja Gabaglia, no Bairro Santa Lúcia, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Os três, entre 600 convidados, faziam parte do “respeitável público” que assistiu ao espetáculo Alakazan – A Fábrica Mágica.

Participantes de projetos sociais da capital e cidades vizinhas – no caso das crianças e adolescentes, de abrigos institucionais e creches filantrópicas e, dos idosos, de instituições de longa permanência –, os convidados chegaram bem antes das 14h e curtiram o ambiente colorido e com pipoca na porta para dar as boas-vindas. Moradora de Sabará, na Grande BH, e integrante do Projeto Cidadão, Lysa Gabrielle Souza Silva contou que estava ansiosa para ver as mágicas. E, no clima de magia do espetáculo, se mostrou feliz da vida. Ao lado, Saymom Henrique da Silva, também de Sabará, fez sua estreia no mundo do circo, e ficou contente com todos os movimentos, da abertura ao grand finale.

Promovido pelo Serviço Social Autônomo (Servas) em parceria com os proprietários do Circo dos Sonhos, o evento teve apoio de entidades cadastradas pelo serviço presidido pela mulher do vice-governador Paulo Brant, Aléxia Rodrigues de Paiva, e de empresas parceiras da entidade. Além do espetáculo, todos os convidados receberam transporte, alimentação e entrada gratuitos. O diretor de Investimento Social do Servas, Rodrigo Fernandes, destacou o objetivo da ação social que permite o “momento lúdico” e dá a oportunidade a muita gente de ir ao circo pela primeira vez.
 

Picadeiro


Vera Maria de Souza, de 69, do Recanto Feliz, no Bairro Betânia, na Região Oeste, pisava no circo pela primeira vez. “Estou maravilhada, adorando mesmo”, comentou com Marilene Abreu, de 75, Uma cena que parecia de filme era a atenção de Maria Angelina da Silva, do Lar de Idosos Padre Leopoldo Martens, no Bairro São Francisco, na Região da Pampulha. Se perdeu a voz, ganhou em encantamento: e os olhos se enchiam de luz bem perto do picadeiro.

Lysa Gabrielle (E) não escondia a ansiedade para ver as mágicas, enquanto Saymon, ao lado dela e pela primeira vez sob a lona, era só alegria(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Lysa Gabrielle (E) não escondia a ansiedade para ver as mágicas, enquanto Saymon, ao lado dela e pela primeira vez sob a lona, era só alegria (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)


Tendo o ator Marcos Frota como embaixador, o Circo dos Sonhos foi criado em 2004 pela família Jardim, que conta com mais de 30 anos de tradição circense, tem duas lonas, que são montadas em locais diferentes pelo país, e uma equipe com mais de 150 profissionais. As apresentações da trupe já foram vistas por mais de 4 milhões de pessoas. Já o Servas é uma organização da sociedade civil de direito privado sem fins lucrativos, criada em 1951, atuando em parceria com o poder público, o setor privado e a sociedade civil em projetos e ações complementares a políticas públicas para o desenvolvimento social.
 


Publicidade