Publicidade

Estado de Minas

Mulher é assassinada a facadas pelo ex-companheiro em Santa Luzia

Vítima foi morta na noite de domingo. Ela já havia registrado diversas queixas contra o suspeito, que acabou detido na manhã desta segunda


postado em 12/08/2019 11:20 / atualizado em 12/08/2019 13:20

Crime ocorreu na noite passada em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte(foto: Prefeitura de Santa Luzia/Divulgação)
Crime ocorreu na noite passada em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (foto: Prefeitura de Santa Luzia/Divulgação)


Mais um caso de feminicídio foi registrado pela Polícia Militar (PM) na noite de domingo. Alessandra Cristiane Solane, de 46 anos, foi assassinada a facadas pelo ex-companheiro dentro de casa, no Bairro Asteca, em Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte. O suspeito do crime, Luiz Carlos dos Santos, de 49, era vizinho da vítima. O homem fugiu do local, mas acabou preso na manhã desta segunda-feira. 

Familiares encontraram o corpo da mulher e acionaram a Polícia Militar. No local, peritos apreenderam uma faca de açougueiro utilizada no crime e constataram ao menos uma perfuração no tórax da vítima.

Alessandra Solane já havia registrado diversas queixas de ameaça contra Luiz Carlos. Segundo testemunhas, as brigas entre os dois eram constantes.
 
Após receber denúncias anônimas, a PM armou um cerco na manhã desta segunda e conseguiu deter Luiz Carlos na Avenida Brasília, em Santa Luzia. Segundo os militares ele não reagiu e confessou o crime.


Crescimento assustador


Os casos de feminicídio tem crescido em Minas. Segundo a Polícia Civil só no primeiro semestre deste ano foram 64 registros de ocorrências de feminicídio no estado. Outras 104 tentativas deste tipo de crime foram registradas no mesmo período. Em todo o ano passado foram registrados 160 ocorrências de feminicídio.

São tipificados como feminicídio crimes cometidos por menosprezo pela condição feminina, discriminação ou por violência doméstica. Para denunciar casos de violência contra a mulher em todo o país o número é o 180.

*Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira


Publicidade