Publicidade

Estado de Minas

Polícia procura motorista que atropelou cadeirante que seguia para a igreja em BH

A vítima atravessava a rua quando foi atingido por um Uno. O motorista fugiu do local sem prestar socorro. Equipes da Polícia Civil fazem levantamentos para identificar condutor


postado em 05/08/2019 13:53 / atualizado em 05/08/2019 13:58

Cadeirante atravessava a rua quando acabou atingido(foto: Google Street View/Reprodução)
Cadeirante atravessava a rua quando acabou atingido (foto: Google Street View/Reprodução)

O motorista de um Uno que atropelou um cadeirante em Belo Horizonte está sendo procurado pela Polícia Civil. O acidente aconteceu na noite desse domingo quando a vítima seguia para a igreja.
Equipes da Divisão Especializada de Prevenção e Investigação de Crimes de Trânsito, do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), estão nas ruas para tentar imagens de câmeras de segurança que possam identificar o condutor.

O acidente aconteceu na noite desse domingo na Rua Nacip Raydan, no Bairro Viconde do Rio Branco, em Venda Nova. Segundo a esposa do cadeirante, o homem, de 53 anos, seguia para a igreja. Quando passava pela via, acabou atingido por um Uno, de cor escura, que subiu a rua em alta velocidade.

Com o impacto, o cadeirante foi arremessado no asfalto. O motorista não parou para prestar socorro e fugiu. Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) socorreram a vítima e a encaminharam para o Hospital João XXIII. De acordo com a Polícia Militar (PM), o homem sofreu lesões no quadril e na cabeça, além de escoriações pelo corpo.

Nesta segunda-feira, equipes da Divisão Especializada de Prevenção e Investigação de Crimes de Trânsito iniciaram os levantamentos para tentar identificar o responsável pelo acidente. Os investigadores tentam encontrar imagens de câmeras de segurança de comércios ou residências que possam ter flagrado o veículo.

A Polícia Civil ressalta que, como o crime foi de lesão corporal, é preciso que a vítima e/ou um representante legal façam uma representação criminal. Somente com essa representação o inquérito será aberto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade