Publicidade

Estado de Minas

BH registra mais duas mortes por dengue em 2019

Com isso, cidade computa 19 vidas perdidas pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti


postado em 02/08/2019 21:05

(foto: Divulgação/Fiocruz)
(foto: Divulgação/Fiocruz)

 

A prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, divulgou mais um levantamento da dengue na cidade nesta sexta-feira (2). Nele, a pasta informou que mais duas mortes foram registradas na cidade neste ano, o que faz o número de vidas perdidas saltar para 19.


As duas mortes aconteceram no mês de maio. Como de praxe, a prefeitura não divulga as regionais onde os óbitos ocorreram.

 

(foto: Reprodução/Prefeitura de Belo Horizonte)
(foto: Reprodução/Prefeitura de Belo Horizonte)
 


Quanto ao número de casos, a secretaria detalhou que 115.418 prováveis (soma de confirmados e suspeitos) foram computados na capital mineira: 88.949 confirmados e 26.469 suspeitos.


No entanto, vale ressaltar que apenas 653 foram confirmados no último mês. A desaceleração segue a média histórica da dengue, que sempre prejudica menos pessoas nos meses de estiagem.


Ainda assim, os números da epidemia deste ano chamam a atenção. Em média, BH teve 415,6 casos confirmados por dia em 2019 e 17,3 por hora.


Regionais

 

(foto: Reprodução/Prefeitura de Belo Horizonte)
(foto: Reprodução/Prefeitura de Belo Horizonte)
 


Desde o início da epidemia, a Região do Barreiro concentra o maior número de casos prováveis na cidade. Neste último relatório, no entanto, a Região Nordeste assumiu a liderança: 17.670 a 17.600.


No Barreiro, são17.384 confirmados e outros 216 ainda investigados. Já no Nordeste da capital são 13.757 confirmados e 3.913 suspeitos.


Pouco atrás das citadas, vem a Região de Venda Nova: 17.199 diagnósticos prováveis, sendo 6.059 ainda não confirmados e 11.140 já fechados.


A Região Centro-Sul segue a menos prejudicada pela epidemia, com 3.620 casos prováveis.


Zika e Chikungunya


Também transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, a febre chikungunya e o zika vírus também trazem problemas a Belo Horizonte.


Em 2019, foram notificados 165 casos de chikungunya na cidade. Foram confirmados 55 casos, dentre os quais 20 contraídos no município, 15 importados e 20 em locais com origem indefinida. Há 110 casos em investigação.


Quanto à zika, em 2019, foram notificados 305 casos na capital mineira. Há apenas um caso confirmado para a doença, 238 descartados e 66 permanecem em investigação.


Publicidade