Publicidade

Estado de Minas

Incêndio ao lado de Sofia Feldman obriga hospital a deslocar bebês para corredor

Diante de fumaça que invadiu a unidade médica, janelas foram fechadas e funcionários e pacientes tiveram que deixar salas


postado em 28/07/2019 17:21 / atualizado em 28/07/2019 18:22

(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Um incêndio em lote vizinho ao Hospital Sofia Feldman, no bairro Tupi, região Norte de Belo Horizonte, assustou médicos, funcionários e pacientes. Por volta das 16h, a fumaça atingiu salas e alguns corredores do hospital. Bebês que estavam na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) tiveram que ser retirados. 

De acordo com informações de funcionários da unidade médica, 31 bebês estão internados nas UCIs e tiveram que ser levados para os corredores onde não havia fumaça pelas próprias mães, que os acompanham na unidade.

Outros 40 bebês, em sua maioria prematuros, estão internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas por ser um local vedado, não houve contato com a fumaça provocada pelo incêndio.

Ainda de acordo com funcionários, ninguém chegou a sentir-se mal com a fumaça, mas foi necessário fechar janelas e isolar algumas áreas. Pessoas que estavam no local queixaram-se de ardor nos olhos.

“Com o vento, a fumaça se espalhou muito pelo hospital. Mas não registramos nenhuma intercorrência, nem com os bebês nem com outras pessoas que estavam no hospital”, assegurou uma funcionária. As fumaças teriam atingido principalmente a área administrativa do hospital. 

Nenhum parto ocorria durante o episódio. As causas do incêndio ainda estão sendo apuradas. 

 

De acordo com o sargento Marcelo Guimarães, responsável pela operação, as chamadas se alastraram por uma área de dois mil metros quadrados e foram necessários cerca de 5 mil litros de água para apagar o fogo.

O militar alertou ainda que havia muito lixo acumulado nos lotes incendiados, o que provocou uma quantidade grande de fumaça.

“O incêndio provou uma ameaça violenta que foi parar nas dependências do hospital, mas já está tudo controlado”, afirmou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade