Publicidade

Estado de Minas

Porta se abre e passageira morre ao ser atropelada por ônibus na Grande BH

Acidente aconteceu na marginal da MG-10, em Vespasiano, nas proximidades da Cidade do Galo


postado em 19/07/2019 20:35 / atualizado em 22/07/2019 20:03

Local aproximado do acidente. na MG-10, segundo informações do Corpo de Bombeiros(foto: Reprodução/Google Street View)
Local aproximado do acidente. na MG-10, segundo informações do Corpo de Bombeiros (foto: Reprodução/Google Street View)

 

Na noite desta sexta-feira (19), um acidente mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros para a MG-10, na altura do Bairro Jardim Glória, em Vespasiano, na Grande BH. Segundo a corporação, a porta de um ônibus se abriu, uma passageira caiu e foi atropelada pelo coletivo. Daniele Lorraine de Almeida morreu a caminho do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII.

 

Segundo os bombeiros, a vítima tinha cerca de 20 anos. Testemunhas contaram aos bombeiros que a jovem estava no degrau entre a porta e o corredor do veículo, quando a porta se abriu e ela caiu. O acidente aconteceu no sentido Belo Horizonte.


Inicialmente, a corporação informou que a jovem estava consciente e sem fraturas aparentes. Contudo, a informação foi corrigida ao decorrer do fato. A vítima sofreu uma parada cardiorrespiratória dentro da viatura. Os militares tentaram reanimar a jovem, mas ela não respondeu aos estímulos. 

 

Os militares deslocaram uma viatura para o local do fato, que aconteceu nas proximidades de um posto de combustível.


Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), a vítima caiu porque o motorista do coletivo abriu a porta antes da parada do veículo. Contudo, os bombeiros não descartam a possibilidade de pane elétrica do equipamento. Trata-se de um veículo da linha 1114 (Vespasiano/Suely).

 

A reportagem entrou em contato com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram). O Sintram disse que "lamenta profundamente a morte" e tem prestado apoio ao motorista, assim como a empresa responsável pelo veículo.

 

Segundo o sindicato, o motorista relatou que o acidente ocorreu cerca de 600 metros após o último ponto em que havia parado, e que por todo esse trajeto o veículo circulou normalmente, com ambas as portas (dianteira e central) fechadas.

 

Ele alegou, conforme o sindicato, estar com as duas mãos ao volante, e não ter acionado proposital ou acidentalmente qualquer nova abertura das portas. Assim que os demais passageiros alertaram sobre o incidente, o motorista parou o veículo imediatamente e desceu para prestar socorro à passageira.    

 

Novamente de acordo com o Sintram, testemunhas relataram que a passageira estava com um pé apoiado no degrau e o restante do corpo, de costas, com o peso sobre a porta. O próprio motorista prestou os primeiros socorros à vítima, enquanto outros passageiros acionaram o Corpo de Bombeiros e o Samu.

 

Ainda segundo o Sintram, a empresa dona do ônibus disse que uma perícia da Polícia Civil não constatou falhas mecânicas na porta. 


Publicidade