Publicidade

Estado de Minas

PM recebe denúncia de bomba em BH, isola local e se depara com bateria de bicicleta

Caso aconteceu no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul da cidade. Ocorrência contou com participação do Esquadrão de Bombas do Batalhão de Operações Especiais


postado em 12/07/2019 21:03 / atualizado em 12/07/2019 21:13

Van do Bope ficou estacionada na Avenida Getúlio Vargas, no sentido Savassi(foto: Gabriel Ronan/EM/D.A Press)
Van do Bope ficou estacionada na Avenida Getúlio Vargas, no sentido Savassi (foto: Gabriel Ronan/EM/D.A Press)

 

Policiais militares receberam uma falsa denúncia de bomba, na noite desta sexta-feira (12), em Belo Horizonte. O chamado aconteceu por volta das 19h e, de imediato, causou o deslocamento de uma guarnição até a Avenida Getúlio Vargas, quase no cruzamento com a Avenida do Contorno, na altura do Bairro Funcionários (Região Centro-Sul).


Quando chegou ao local, os militares cercaram as imediações para isolar a passagem de pedestres e veículos. Eles, imediatamente, acionaram os militares especializados neste tipo de ocorrência, o Esquadrão de Bombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope).


Contudo, ao decorrer dos trabalhos, o Bope constatou que se tratava de uma bateria de bicicleta elétrica. A corporação ainda não sabe se o material foi arracancado de uma bicicleta particular ou de uma do sistema compartilhado.


No local, 10 militares do Bope atenderam ao chamado. Por volta das 21h, o isolamento das imediações já havia terminado e a guarnição registrava a ocorrência no sistema.

 
Outro caso 

 

Em 10 de abril de 2017, o Bope atendeu a uma ocorrência semelhante na mesma avenida de BH, desta vez na altura do cruzamento da Getúlio Vargas com a Afonso Pena, também no Funcionários.

 

Na ocasião, assim como a desta sexta, tratava-se de um falso chamado. Um objeto suspeito foi atirado de um prédio na Praça ABC e caiu em cima do ar-condicionado da banca de revistas que fica na praça, gerando a mobilização do Bope.

 

Vestido com roupas especiais, o policial envolvido diretamente na ação usou um objeto de longo alcance para puxar o saco preto, que, na verdade era um saco de lixo. A suspeita é que poderia se tratar de uma bomba, mas ao retirar o material, os policiais não constataram a existência de explosivos. 


Publicidade