Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros encontram corpo com documento na área do desastre em Brumadinho

Restos mortais foram localizados em área atingida pela lama e já estão no IML de Belo Horizonte para identificação


postado em 04/07/2019 08:56 / atualizado em 04/07/2019 12:03

Ver galeria . 26 Fotos  Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão)Gladyston Rodrigues/EM/D.A press
Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão) (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press )


Com cinco meses de buscas, completados em 25 de junho, a equipe do Corpo de Bombeiros encontrou mais um corpo de uma vítima do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ainda não há identificação, mas os bombeiros confirmaram tratar-se de uma pessoa do sexo masculino.

Segundo a corporação, o corpo foi localizado no início da noite de quarta-feira na área do Remanso 1. “Ele estava praticamente intacto. No bolso da calça, havia um documento de identidade que confere com um dos nomes da lista das pessoas ainda não encontradas. O corpo já foi encaminhado para o IML”, informou o Corpo de Bombeiros. 

Pouco antes das 22h, a Polícia Civil confirmou que os restos mortais já estavam no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte. Os trabalhos de identificação começaram imediatamente. "Constatou-se a inexistência de impressões digitais viáveis. Material para comparação de DNA já foi coletado e enviado para o laboratório do Instituto de Criminalística, para análise prioritária. A equipe da Odontologia-Legal do IML permanece empenhada, simultaneamente, para identificação através de estudo da arcada dentária", informou a polícia por meio de nota.

Bombeiros trabalham nas buscas desde o dia do desastre, em janeiro(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
Bombeiros trabalham nas buscas desde o dia do desastre, em janeiro (foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)


Até o momento, 246 mortos foram identificados e outras 24 ainda constam como desaparecidas depois do rompimento da barragem em 25 de janeiro.

Nesta semana, foi aprovado o relatório apresentado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga o caso. O documento recomenda o indiciamento da Vale, operadora do empreendimento, da empresa alemã Tuv Süd, responsável pelo laudo de estabilidade da estrutura, e de 14 pessoas físicas. Entre elas o ex-presidente da mineradora Fábio Schvarstman e dois engenheiros da Tud Süd, Makoto Namba e André Yassuda.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade