Publicidade

Estado de Minas

Vale já fechou 49 acordos individuais com vítimas da tragédia de Brumadinho

No total, foi investido R$ 1,5 bilhão em serviços ambientais, materiais de saúde, transporte e outros custos logísticos


postado em 26/06/2019 17:21 / atualizado em 26/06/2019 17:30

Barragem rompeu em Brumadinho em 25 de janeiro deste ano(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press)
Barragem rompeu em Brumadinho em 25 de janeiro deste ano (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press)

Desde o rompimento da barragem da Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, cerca de cem mil moradores do município e comunidades vizinhas receberam indenizações emergenciais. Sendo que, 115 mil pessoas agendaram ou se cadastraram para receber. Já em relação as indenizações individuais, foram fechados 49 acordos por danos materiais e morais. No total, foi investido R$ 1,5 bilhão em serviços ambientais, materiais de saúde, transporte e outros custos logísticos.

Estes pagamentos valem para todas as pessoas que, no dia 25 de janeiro, residiam em Brumadinho ou que moravam a até 1 quilômetro da calha do Rio Paraopeba desde a cidade até Pompéu, na usina de Retiro Baixo. O acordo foi firmado com a Advocacia-Geral do Estado de Minas Gerais, o Ministério Público do Estado de Minas Gerais, a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais, a Advocacia-Geral da União, o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União.

Moradores já receberam indenizações emergenciais nos municípios contemplados: Brumadinho, Mário Campos, São Joaquim de Bicas, Betim, Juatuba, Igarapé, Florestal, Esmeraldas, Pará de Minas, São José da Varginha, Maravilhas, Fortuna de Minas, Pequi, Paraopeba, Curvelo, Pompéu e Papagaios.

Vale lembrar que, em 18 de fevereiro, a mineradora assinou um termo de cooperação com a Prefeitura de Brumadinho, com aporte de R$ 2,6 milhões para ampliação de assistência humanitária no município, que conta com equipes multidisciplinares para atuar nas áreas de saúde e psicossocial junto aos atingidos. A empresa também adquiriu equipamentos e materiais necessários na prestação dos serviços, além da alocação de 20 veículos para locomoção desses profissionais e imóveis para promoção desse atendimento emergencial.

Agora, com o objetivo de apoiar as cidades onde operações da Vale foram paralisadas e contribuir para a manutenção da oferta de serviços essenciais à população dos municípios, a empresa assinou um acordo com a Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil (Amig) para fazer aportes financeiros no valor total de R$ 100 milhões. A medida vai atender a 10 municípios: Barão de Cocais, Belo Vale, Congonhas, Itabirito, Mariana, Nova Lima, Ouro Preto, Rio Acima, São Gonçalo do Rio Abaixo e Sarzedo.

Recompensa ao Corpo de Bombeiros


Em reconhecimento ao trabalho do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais em Brumadinho, a Vale formalizou um aporte de R$ 20 milhões para compra de equipamentos, melhoria estrutural e capacitação profissional da corporação.

A Vale também assinou termo com o Governo do Estado de Minas Gerais para apoiar a segurança das comunidades por meio de doações a serem feitas para a Defesa Civil e a Polícia Militar. Para a Defesa Civil, o investimento somará R$ 5 milhões. O termo com a Polícia Militar totaliza R$ 4 milhões. Além disso, destinou R$ 6,5 milhões para aquisição de equipamentos de ponta para o IML de Belo Horizonte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade