Publicidade

Estado de Minas

Adolescente apreendido após ataques em Coronel Fabriciano será ouvido pelo MP

Caso ocorreu na manhã de terça-feira e assustou moradores. Adolescente foi detido pela polícia e deve ser apresentado à promotoria ainda hoje


postado em 19/06/2019 12:40 / atualizado em 19/06/2019 12:49

Materiais apreendidos com o adolescente, segundo a PM(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Materiais apreendidos com o adolescente, segundo a PM (foto: Polícia Militar/Divulgação)


Deve ser ouvido na tarde desta quarta-feira na Promotoria do Ministério Público em Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, o adolescente de 17 anos apreendido ontem após uma sequência de ataques a imóveis públicos do município. Ele foi detido pela manhã na escola em que estuda, onde foi flagrado danificando e queimando documentos na secretária. 

Segundo a Polícia Militar (PM) da cidade, por volta das 8h, o estudante colocou fogo na parte traseira de um carro estacionado em frente a Prefeitura de Coronel Fabriciano, na região central. O veículo pertence a uma servidora. Ele também colocou artefatos com pólvora no segundo pavimento da rodoviária e em frente a um banco. Inicialmente, eles teriam potencial para provocar fogo. Em seguida, ele pegou um mototáxi e foi até a Escola Estadual Alberto Giovannini, onde estuda à noite. Sem frequentar as aulas há três semanas, ele disse que precisava devolver um livro e entrou. 

Em entrevista ao em.com.br ontem, o tenente-coronel Warley Geraldo Silva, comandante do 58º Batalhão da Polícia Militar da cidade, disse que a diretora da escola ligou para a polícia dizendo que havia um indivíduo dentro da secretaria danificando computadores, dizendo que colocaria fogo, e ordenando que as pessoas saíssem. Lá, ele acabou detido pela PM. Imagens que circulam pelas redes sociais mostram o momento da apreensão do rapaz, que usava uma touca e estava com o rosto coberto por um pano branco pintado com tinta preta.

“É um menor de 17 anos que alega revolta com o estado, com as coisas que acontecem, transgênicos, vacinas”, contou o comandante da polícia local na terça-feira. Com ele foi encontrado um caderno no qual ele disse estar a motivação dos ataques. Entre as anotações, há uma reprodução da capa da graphic novel "Maus: a história de um sobrevivente". Escrita pelo cartunista norte-americano Art Spiegelman, ela fala sobre o período do Holocausto. A imagem contém uma suástica, símbolo do nazismo. Também foram apreendidos pólvora e líquido inflamável. O adolescente não tinha passagens pela polícia e foi levado a uma delegacia. 

Carro de funcionária da prefeitura foi danificado pelas chamas(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
Carro de funcionária da prefeitura foi danificado pelas chamas (foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
AUTUADO Nesta quarta-feira, a Polícia Civil informou que o adolescente foi autuado em flagrante por ato infracional análogo aos crimes de incêndio e dano ao patrimônio público. Ele está sob custódia da polícia e será apresentado ao Ministério Público ainda hoje. Na audiência, será decidido se ele vai continuar apreendido ou se outra medida deverá ser tomada. 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Educação informou que as aulas na escola de Coronel Fabriciano não foram interrompidas e que não havia registro anterior de indisciplina por parte do estudante. A Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Coronel Fabriciano acompanha o caso. Leia a nota na íntegra: 

"Sobre a ocorrência registrada na manhã da terça-feira (18/6), na Escola Estadual Alberto Giovannini, em Coronel Fabriciano, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informa que a direção da unidade escolar acionou a Polícia Militar depois que um aluno, matriculado no turno da noite da escola, procurou a secretaria da unidade escolar, durante a manhã, e colocou fogo em alguns papéis. O fogo foi rapidamente apagado e não impediu o funcionamento do setor. O responsável pelo aluno também foi chamado.
 
Segundo a direção, o adolescente é bom aluno e não há registro de atos de indisciplina dele na escola. A direção orientou os familiares a procurarem o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo de sua residência para que o jovem possa receber o devido apoio emocional. As aulas na escola aconteceram normalmente durante a terça-feira e também nesta quarta-feira (19/6). A Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Coronel Fabriciano, responsável pela coordenação da escola na região, acompanha o caso."


Publicidade