Publicidade

Estado de Minas

Bombeiro 'herói' salva bebê engasgado após orientar mãe em ligação

Família ficou desesperada quando recém-nascida de 24 dias parou de respirar durante o banho


postado em 18/06/2019 17:25 / atualizado em 18/06/2019 18:52

Linda Valentina, de apenas 24 dias de vida, foi salva por uma ligação dos bombeiros(foto: Arquivo Pessoal)
Linda Valentina, de apenas 24 dias de vida, foi salva por uma ligação dos bombeiros (foto: Arquivo Pessoal)

“Eu só pensava o pior”, disse a mãe da bebê de apenas 24 dias de vida que se viu entre a vida e a morte após se engasgar. O caso ocorreu na tarde desta terça-feira em Belo Horizonte. A mãe ligou para o Corpo de Bombeiros (193) e o sargento que atendeu a ligação orientou a mãe com os devidos procedimentos que salvaram a criança.

A bebê, Linda Valentina, engasgou enquanto a avó dava banho e percebeu que a respiração havia parado. “Minha mãe viu uma gosminha na garganta da bebê, tentou tirar com a fralda, mas não conseguiu. Ela foi ficando com o corpo mole, então minha mãe mandou ligar para os bombeiros”, contou a mãe da criança, Mileide Lúcia, de 22 anos. 

Assim que o sargento Silvio Martins Pinto assumiu a ligação, viaturas foram enviadas para a residência da vítima. Enquanto isso, ele passou a orientar a mãe para que ela fizesse os procedimentos e as manobras corretas para desengasgar a criança.

“O bombeiro falou pra colocar ela pra baixo e bater nas costas. Como ela não cuspiu, ele mandou sugar o nariz e a boca dela. Só assim ela foi voltando, bem devagarinho”, relatou a mãe.

As vias aéreas da criança foram desobstruídas e ela voltou a respirar normalmente. Por se tratar de recém-nascido, a mãe foi orientada a comparecer a uma unidade de pronto atendimento para que um profissional de saúde avaliasse a criança.

Ação rápida dos bombeiros

A mãe elogiou a ação do Corpo de Bombeiros por sua presteza. “Eles foram bem rápidos, me ajudaram pelo telefone e a viatura chegou em cinco minutos. Sensação de total agradecimento”, disse a mãe, após o desespero. “Eu estava em estado de choque, todo mundo lá em casa ficou desesperado. Eu só pensava o pior. A gente não pode desesperar, porque se não a gente não faz nada, não tem ação nenhuma”, recomendou a mãe de primeira viagem. 

Para o sargento Silva, com 29 anos de carreira na corporação, cumprir o dever de salvar vidas nunca deixa de ser gratificante. “Para salvar vida, qualquer esforço é muito. É uma ocorrência que mexe muito com a gente. Todas mexem, mas quando envolve bebê é uma sensação diferente. Poder pegar um bebê no colo, por exemplo, é um privilégio que Deus dá”, disse o bombeiro, que é também é pai de quatro filhos."

A corporação orienta ainda que as mães ou responsáveis que se encontrem nessa situação entrem em contato com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais pelo telefone 193
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade