Publicidade

Estado de Minas

Bombeira orienta mãe por telefone a salvar a vida de bebê engasgado em Minas

Danielle Rodrigues da Silva, de 23 anos, ligou para a corporação de Uberaba, informando que seu filho de dois meses já não respirava e estava roxo por ter se engasgado com leite


postado em 30/05/2018 07:49 / atualizado em 30/05/2018 14:06

Depois de ser orientada pela Sargento Bianca pelo telefone, a mãe Danielle Rodrigues recebeu a corporação, que foi encaminhada para a casa da família desde os primeiros minutos após o contato(foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação )
Depois de ser orientada pela Sargento Bianca pelo telefone, a mãe Danielle Rodrigues recebeu a corporação, que foi encaminhada para a casa da família desde os primeiros minutos após o contato (foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação )

A calma e tranquilidade de uma sargento dos Bombeiros de Uberaba, no Triângulo Mineiro, foram essenciais para salvar um  bebê de dois meses, que estava engasgado. A mãe, Danielle Rodrigues da Silva, de 23 anos, ligou para a corporação informando que o filho já estava roxo e aparentava não respirar por ter se engasgado com leite. Em cerca de seis minutos de conversa ao telefone, a Terceiro Sargento Bianca Luce Dias Palhares, do 8º Batalhão de Bombeiros Militar, passou as instruções para a mãe, que conseguiu salvar o filho.

Ouça o áudio da ligação da mãe para os bombeiros  



Durante a ligação, a bombeira pede que a mãe tente sugar a boca e nariz da criança para desengasgá-la, mas como a mulher relata não ter sucesso, a sargento orienta a mãe a virar o bebê, colocando a cabeça dele mais para baixo e, em seguida pede que ela dê cinco tapinhas nas costas da criança. A mãe relata que mesmo com os procedimentos o bebê continua com a boca roxa e os olhos arregalados. Neste momento, a bombeira pede que a mãe massageie o peito da criança, entre os mamilos, intercalando com os tapinhas na costas. O bebê começa a dar sinais de melhora e volta a respirar. 

Mesmo com o quadro da criança já fora de perigo, a sargento Bianca permanece ao telefone com a mãe, pedindo que ela estimule o bebê para que ele chore, enquanto aguardam a chegada da viatura encaminhada para a casa da família desde os primeiros minutos após o contato. Já mais calma, Danielle Rodrigues relata sucesso na ação. O bebê Wallace Benjamin Rodrigues Martins, de apenas dois meses, começa a emitir sons e respirar novamente. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o engasgamento pode levar à morte em apenas 3 minutos e, por isso, a calma e orientações corretas sobre como agir nesses casos podem salvar vida da vítima, como reforça a Sargento Bianca. "Para que um atendimento à vítimas desta natureza seja bem sucedido é fundamental, apesar do susto, a atenção e calma dos pais para cumprir todas as orientações passadas pelo bombeiro militar. De início, é necessário informar se o bebê engasgou com líquido ou sólido e, no primeiro caso, deverão ser ser feitos os procedimentos que passei para a mãe. Em caso de engasgamento por sólido, a orientação é fazer uma leve varredura na boca da criança no entuito de retirar o objeto. Se não conseguir, os pais devem realizar o mesmo procedimento de desobstrução para líquidos", explica.   

A corporação orienta ainda que as mães ou responsáveis que se encontrem nessa situação entrem em contato com os Bombeiros pelo telefone 193. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade