Publicidade

Estado de Minas

Polícia cumpre 100 mandados de prisão por homicídio; crime cai 24% em MG

Além do crime de tráfico, razões fúteis são causa dos homicídios. Em um deles o autor matou a vítima por causa de um gato


postado em 28/05/2019 11:54 / atualizado em 28/05/2019 20:28

Os delegados Emerson Moraes e Wagner da Conceição comandam a operação Cronos, que efetuou 87 prisões em Minas(foto: Jair Amaral/EM)
Os delegados Emerson Moraes e Wagner da Conceição comandam a operação Cronos, que efetuou 87 prisões em Minas (foto: Jair Amaral/EM)
Nesta terça (28), Christopher Lucas Grajau Morais, de 28 anos, foi preso por assassinar Gerson Santos de Jesus, de 45, em dezembro do ano passado no Bairro Jardim Vitória, na Região Leste de Belo Horizonte. O crime foi cometido por motivo considerado fútil, desentendimento da vítima e autor acerca de um gato. Christopher foi um dos 83 detidos em Minas, sendo 13 em Belo Horizonte, como parte da operação Cronos II, realizada em 21 estados brasileiros nesta terça-feira (28). Em Minas, ao longo do dia, foram cumpridos 96 mandados de prisão.

 

"O indíviduo matou o vizinho em razão de um gato. A filha dele de seis anos estava brincando com o animal, enrolado em uma manta. Ela brincava com esse gato como se fosse um bebê. A vítima xingou essa criança que, quando chegou em casa, reportou os xingamentos ao pai, que foi tirar satisfação", informou o delegado Emerson Moraes, chefe da Divisão de Crimes contra a Vida. Uma semana depois do desentendimento, Chirstopher matou Gerson a pauladas. 

 

Outro crime que chamou atenção foi de um indivíduo que tentou matar a irmã. "Apuramos homicídios por causa de 50 centavos. O indivíduo que matou o dono de uma padaria por estar faltando no troco. Vizinho que matou o outro por sinal de Wi-fi ou barulho de som. Vizinho que mata o outro por causa de vaga de garagem, além dos casos de feminicídio, em que o marido descontente com a separação acaba matando a amada", diz. 

 

A operação Cronos II foi proposta pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil. Em Minas, participaram da operação 480 policiais civis para o cumprimento de 100 mandados de prisão preventivas e temporárias. "São as mais variadas motivações para esses crimes de homicídio, entre passional, feminicídio, motivos fúteis e tráfico de drogas", afirmou. 

 

De 2017 a 2018, a polícia registrou descréscimo de 24% no número de homicídios, tanto no interior do Estado como na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, foi registrada redução na casa de 15% em Belo Horizonte e  24% no interior do estado. "A operação tem o objetivo de contribuir para essa tendência de queda nesses crimes de homicídios", afirma Wagner Silva da Conceição, chefe do Departamento Estadual de Homicídios.

 

Wagner Conceição afirmou que o sistema penitenciário tem condição de receber os presos que foram detidos pela operação Cronos II. "Essa operação foi planejada. Foi feita a interlocução com os demais órgãos do estado.  A Subsecretaria de Assuntos penitenciários foi avisada do resultado dessa operação e essas vagas foram reservadas no sistema", afirma. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade