Publicidade

Estado de Minas

Adolescente de 16 anos suspeito de matar três pessoas é apreendido pela polícia

Praticamente nascido no tráfico da Vila Pinho, garoto seria um dos responsáveis pela morte de um rival dos líderes dos criminosos na comunidade


postado em 27/05/2019 18:12 / atualizado em 27/05/2019 19:45

De acordo com delegada a frente do caso, investigações duraram três meses(foto: Divulgação/PCMG)
De acordo com delegada a frente do caso, investigações duraram três meses (foto: Divulgação/PCMG)

Um garoto de 16 anos foi alvo da Polícia Civil de Minas Gerais, em uma operação que investiga a morte de um traficante e a de um morador de rua de Belo Horizonte. Praticamente nascido no tráfico da Vila Pinho, na Região do Barreiro, o adolescente também é suspeito de envolvimento em uma terceira morte e ainda em um caso de tortura. 

O primeiro assassinato do adolescente teria sido em novembro do ano passado, quando Paulo Roberto Pereira Reis, de 57 anos foi morto a tiros. A vítima tinha uma dívida com o tráfico.

De acordo com os investigadores, três meses depois, ele matou Leandro Sales Ferreira, de 34 anos, mais conhecido como “Léo Patrão. O homem gerou fúria no líder do tráfico na comunidade, ao tentar tomar o ponto de venda de drogas no local. Na ocasião, Léo Patrão teria ordenado a morte de um ajudante e do irmão desse líder.

Sabendo dos planos do rival, o líder do tráfico na região teria anunciado “ordem de recolhimento” na comunidade, o que segundo a Polícia Civil trouxe prejuízos aos comerciantes locais - a ordem foi feita em 21 de dezembro, às vésperas do Natal. 

O adolescente de 16 anos teria sido o responsável por anunciar a ordem do líder na comunidade. Na ocasião, a polícia descobriu o ato e chegou a apreendê-lo, levando para o Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte (CIA). Após audiência de custódia, ele acabou liberado. 

Dois meses depois, Leandro foi morto durante um baile funk, sendo atingido por mais de oito tiros. A suspeita é de que, além do adolescente, outros homens teriam participado do assassinato, inclusive um outro deles também seria menor de idade.

De acordo com a Delegada responsável pelo caso, Elyenni Célida da Silva, as investigações duraram cerca de três meses.

Morador de Rua e tortura

Os levantamentos realizados pelos investigadores apontam que o adolescente participou também da morte do morador em situação de rua Olandino de Fati, de 57 anos. O assassinato ocorreu em fevereiro deste ano e foi classificado como “queima de arquivo”.

O garoto também é investigado por tortura e pela participação na tentativa de homicídio de um vizinho e de um casal na Vila Formosa, também na Região do Barreiro. 

Na ocasião, o padrasto da namorada de um dos meninos do tráfico teria tentado tirar a jovem da companhia dos infratores. Ainda de acordo com a Polícia Civil, o suspeito e outros amigos, invadiram o apartamento do homem, e o torturaram de meio dia até às 16h, quando a Polícia Militar chegou ao local e encontrou o senhor com um tiro na perna. O adolescente conseguiu fugir.

Desde sexta-feira (24), o adolescente está apreendido no centro de internação, onde pode permanecer por até 45 dias aguardando a audiência. 


Publicidade