Publicidade

Estado de Minas

Jovens de BH são flagrados pichando patrimônio histórico em Ouro Preto

Eles foram detidos pela Polícia Militar, após ser chamada por cidadãos da cidade centenária e patrimônio histórico da humanidade


postado em 26/05/2019 14:52 / atualizado em 26/05/2019 16:34


Jovem pichando a lateral da Câmara Municipal de Ouro Preto, patrimônio centenário e tombado pelo Iphan e Unesco(foto: Divulgação)
Jovem pichando a lateral da Câmara Municipal de Ouro Preto, patrimônio centenário e tombado pelo Iphan e Unesco (foto: Divulgação)
A defesa das riquezas culturais e históricas de Outro Preto -  tombada como patrimônio nacional pelo Iphan, em 1938,  e da Humanidade, em 1980, pela Unesco -,  terminou em detenção na madrugada desde domingo (26).

O turismólogo Pedro Rodrigues,  32 anos, morador da cidade centenária, contou à reportagem do EM na tarde deste domingo, que ele e um amigo presenciaram uma cena de pichação protagonizada por jovens moradores de Belo Horizonte.

Eles participavam de um show de hip hop que aconteceu na noite deste sábado (25), na Praça Tiradentes, no Centro da cidade localizada a 95 quilômetros da capital.

Segundo Pedro, enquanto um jovem pichava, conformou mostra o vídeo (veja acima), o parceiro dele filmava o vandalismo que acontecia na parte lateral da Câmara Municipal de Ouro Preto, no Beco do Pilão, localizado nas imediações da Praça Tiradentes.

Pedro disse que ele e o amigo, que registrou o vídeo postado nesta matéria, chamaram a atenção dos vândalos, que estavam acompanhados da namorada de um deles. A única reação do trio, conforme relatou Pedro, foi a de agredir o amigo dele.

Pedro também disse que o ato desencadeou uma luta corporal generalizada. O trio envolvido na pichação acabou fugindo do local.

Inconformados, Pedro e o amigo chamaram a Polícia Militar, que foram detidos e autuados por agressão física e crime contra o patrimônio histórico. Eles vão responder a processo.

De acordo com Pedro, os jovens envolvidos na pichação são moradores do Bairro Sion,  Região Centro-Sul de BH.

Vale lembrar


"Não é possível que um patrimônio histórico de mais de 300 anos seja utilizado em prol da destruição, prejudicando muito uma cidade que está precisando tanto do turismo",  lembrou Pedro, se referindo à diminuição de turistas na cidade após a tragédia de Brumadinho,  que trouxe ainda o ''fantasma' permanente de rompimento de taludes e outras minas da Mineradora Vale.

Pedro destacou ainda que o grafite "é uma arte legal quando autorizada''. E, no caso da pichação, opinou o turismólogo,  também é uma  liberdade de expressão, desde que também autorizada para ambientes apropriados. "O que não é o caso de Outro Preto", enfatizou.

O ex-secretário de Turismo de Ouro Preto e vereador Chiquinho de Assis (Verde) também conversou com a reportagem do EM. "É fundamental que fique registrado, que soe como exemplar  (a detenção e o processo), porque a gente trabalha muito para preservar, para depois pichar", advertiu o parlamentar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade