Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende suspeito de falsificar experiência em carteiras de trabalho na Praça Sete

Homem tinha mais de 40 carimbos em estabelecimento para adulterar ainda atestados médico e diplomas


postado em 23/05/2019 15:07 / atualizado em 23/05/2019 15:34

Carimbos falsificados foram apreendidos(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Carimbos falsificados foram apreendidos (foto: Polícia Militar/Divulgação)

Duas pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira por falsificar atestado médico, diplomas de ensino médio e superior, e também por carimbar falsa experiência em carteiras de trabalho. A ocorrência foi registrada nas imediações da Praça Sete de Setembro, no Centro de Belo Horizonte.

A Polícia Militar (PM) foi ao local indicado após denúncias, uma lan house na Rua Rio de Janeiro. De acordo com o tenente Wenderson Pinheiro, que atendeu a ocorrência, um homem de 35 anos foi flagrado falsificando um diploma. “Seria o mentor, ele que planejava, fazia todos os modelos”, disse o policial.


Em um computador apreendido, foram encontrados vários modelos de certificado. Segundo Wenderson, as pessoas eram levadas até a lan house após entrarem em contato com as pessoas que ficam com colete de “vende-se ouro” na Praça Sete. Todo o material era produzido no estabelecimento.

A falsificação tem preço. Segundo a polícia, no local havia uma tabela específica para isso. Comprovação de experiência na carteira custava R$ 150. O diploma falso seria um dos mais avaliados, custando R$ 300. O atestado médico, que segundo o policial, seria mais procurado, é a preço “popular”, R$ 40 cada.

Segundo a polícia, alguns médicos foram procurados e devem prestar depoimento.

O dono do estabelecimento, um homem de 79 anos, também foi conduzido para a Central de Flagrantes II. Segundo o militar, ele teria afirmado que era pastor.

Durante a operação, outras duas pessoas foram detidas na Praça Sete portando celulares com queixa de furto e roubo.
 

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade