Publicidade

Estado de Minas

Desvios de voos do Rio e de São Paulo causam filas em Confins

Passageiros enfrentam transtornos por causa de mau tempo no litoral da Região Sudeste


postado em 29/04/2019 15:27 / atualizado em 29/04/2019 17:18

Aeroporto de Confins registrou filas após receber voos desviados do Rio e de São Paulo(foto: Thiago Faria/Divulgação)
Aeroporto de Confins registrou filas após receber voos desviados do Rio e de São Paulo (foto: Thiago Faria/Divulgação)

Passageiros enfrentam transtornos no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte nesta segunda-feira. O terminal sofreu lotação após o fechamento dos aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro, por causa das fortes chuvas de domingo.

O voo do gerente de capacitação Thiago Faria, de 34 anos, foi um dos afetados pelo mau tempo. Ele embarcou às 19h de domingo em Confins com destino a Guarulhos e, quando estava próximo do pouso, foi informado que o tempo estava fechado. “O piloto informou que ia ficar dando voltas até que depois anunciou que tinha que voltar para Confins. Quando chegamos, vários outros voos tinham sido remanejados”, disse.

Segundo Thiago, o avião ficou cerca de três horas na pista do Aeroporto de Confins, aguardando liberação de escada para retirada dos passageiros. “A fila estava gigantesca para remarcar o voo. O aeroporto não é estruturado minimamente em situações como essa. Não estava preparado. Tinha várias grávidas, bebês, idosos sofrendo com isso”, reclamou Thiago.

Segundo informação das companhias aéreas, alguns voos tiveram que pousar em aeroportos alternados por condições meteorológicas adversas no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em nota, a BHAirport, que administra o Aeroporto de Confins, informou que o recebimento dos voos foi para garantir a segurança das operações. Leia na íntegra:
 
"A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, informa que em razão das fortes chuvas registradas no último domingo (28), em São Paulo e Rio de Janeiro, registrou 23 voos alternados para a capital mineira. Ao longo de todo o dia, o Aeroporto atuou em conjunto com as companhias aéreas para garantir a segurança das operações e reduzir os impactos aos passageiros.

A concessionária esclarece que a malha aérea brasileira é interligada e que a acomodação desta malha, nos casos de eventos climáticos em outros aeroportos, provoca impactos. Cabe ressaltar que a definição sobre o aeroporto que irá receber voos alternados é feita pelas companhias aéreas com a coordenação do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA), vinculado à Aeronáutica."
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade