Publicidade

Estado de Minas

Investigador da Polícia Civil é esfaqueado em bar na Grande BH

O autor do crime foi preso horas depois ao se esconder em um matagal. Testemunhas afirmaram que o policial separou uma briga no estabelecimento comercial e, em seguida, acabou atingido nas costas por várias facadas


postado em 26/04/2019 15:01 / atualizado em 26/04/2019 15:08

Crime aconteceu na noite dessa quinta-feira em Betim(foto: Policia Civil/Divulgacao)
Crime aconteceu na noite dessa quinta-feira em Betim (foto: Policia Civil/Divulgacao)

Deve receber alta ainda nesta sexta-feira, o investigador da Polícia Civil esfaqueado em um bar, na noite de quinta-feira, em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Testemunhas contaram que ele separou uma briga que acontecia no estabelecimento. Um dos envolvidos saiu do local e retornou com uma faca. A vítima acabou sendo atingida por vários golpes pelas costas. O autor foi preso horas depois e a arma apreendida.

De acordo com o boletim de ocorrência, testemunhas contaram que Edson Ribeiro Loiola Filho, de 37 anos, se envolveu em uma briga no bar com outro cliente. O investigador da Polícia Civil, que também estava no local, foi apartar a confusão e conseguiu desvencilhar os dois homens. Depois disso, Edson saiu do imóvel.

O homem entrou em uma Kombi e deu a volta no quarteirão. Em seguida, segundo o registro policial, surpreendeu o investigador com uma faca. O policial levou vários golpes na cabeça, costas e pescoço. O autor fugiu do local. A vítima foi socorrida e encaminhada para o Hospital Orestes Diniz, na Colônia Santa Isabel. Mas, devido ao seu estado de saúde, foi transferido para o Hospital Regional de Betim.

Os militares fizeram buscas na região e, na MG-155, encontraram com o autor. Ao ver a viatura, Edson largou o facão na rodovia e fugiu a pé para um matagal. Porém, acabou preso. Ele foi levado para a Delegacia de Plantão de Betim.

A Polícia Civil informou que o caso ainda está sendo investigado. Afirmou, ainda, que Edson foi preso em flagrante e a arma usada no crime apreendida. O policial civil não corre risco de morrer e está com alta marcada para esta sexta-feira, segundo a corporação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade