Publicidade

Estado de Minas

Pesquisa aponta variação de 133% no preço de vacinas em BH

Campanhas de vacinação aumentam o movimento nos laboratórios e clínicas particulares, e, consequentemente, geram impacto nas tabelas de preços


postado em 18/03/2019 14:57 / atualizado em 18/03/2019 15:46

No Laboratório Hermes Pardini houve aumento na busca por vacinas contra a meningite B e a ACWY(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
No Laboratório Hermes Pardini houve aumento na busca por vacinas contra a meningite B e a ACWY (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

A busca por proteção contra doenças tem aumentado em Minas Gerais. Pesquisa realizada pelo site Mercado Mineiro em Belo Horizonte e região metropolitana, entre 12 e 15 de março de 2019, revelou a diferença do preço das vacinas em relação ao mesmo período do ano passado. Também foram analisadas as variações de 30 vacinas em 11 clínicas de vacinação e laboratórios particulares da capital.

Foram encontradas variações de até 133,33%, diferença entre os preços da vacina DTPac (difteria, tétano e coqueluche) + HIB (tetra), que custa entre R$ 150 e R$ 350. Outra variação importante foi de 116%, diferença apresentada entre os preços da vacina contra pneumonia (Pneumo 23) - a partir de 2 anos, que pode ser encontrada entre R$ 90 e R$ 195.

De acordo com o site de pesquisas, as campanhas de vacinação aumentam o movimento nos laboratórios e clínicas particulares, e, consequentemente, geram impacto nas tabelas de preços.

Para não doer no bolso, o coordenador do Mercado Mineiro alerta sobre a importância de pesquisar os preços com antecedência. “É muito importante pesquisar, porque o resultado da vacinação, que é proteger, tem que ser o mesmo de uma vacina que custa R$ 100 ou R$ 190, ou até mesmo mais que isso”, alertou Feliciano Abreu, coordenador do site responsável pela pesquisa. 

Meningite

O neto do ex-presidente Lula foi diagnosticado com meningite meningocócica. Após a divulgação da morte de Arthur, uma grande corrida aos laboratórios particulares foi registrada em diferentes cidades. Em Belo Horizonte não foi diferente. No Laboratório Lustosa, segundo a assessoria de imprensa, a média diária de busca por vacinas contra a meningite B e a ACWY aumentou mais de 300% em março. Aumento também registrado no Laboratório Hermes Pardini. Em 2018, a média diária nas 19 lojas foi de 39 vacinas. Entre 1º e 6 de março, mesmo no período de carnaval, foram comercializadas 70,5 vacinas diariamente, aumento de 80%.

A vacina contra a meningite B (Bexsero), pode custar de R$ 480 a R$ 620. A vacina contra Meningite C, varia de R$ 150 a R$ 273. Uma dose da meningite quadrivalente (Menveo), pode custar de R$ 300 a R$ 380.

Em Minas foram registrados 50 casos de meningite em 2019, sendo que seis pessoas não resistiram. No ano passado, foram 1.005 casos confirmados e 132 mortes. A meningite meningocócica foi identificada em uma pessoa neste ano. O paciente morreu. Em 2018, foram 74 casos e 23 óbitos. (Com informações de João Henrique do Vale)

Aumento de preço

Algumas vacinas registraram aumento na média de preço em relação ao ano passado:
  • BCG (tuberculose): de R$ 81,14 para R$ 106 (aumento de 30,64%)
  • Pneumonia (Pneumo 23) - a partir de 2 anos: de R$ 110,64 para R$ 138,60 (aumento de 25%)
  • DTPac (difteria, tétano e coqueluche) HIB (Tetra): de R$ 175,39 para R$ 211 (aumento de 20%
  • Hepatite A Infantil: de R$ 121,69 para R$ 133,25 (aumento de 9,50%)

Queda de preço

Muitas vacinas também ficaram mais baratas em relação ao ano passado:
  • Meningite C: de R$ 279 para R$215,75 (redução de 22,67%)
  • Dengue – Dengvaxia: de R$ 237,23 para R$ 202,25 (redução de 14,75%)
  • Gripe - Influenza (Trivalente): de R$ 70 para R$ 60,60 (redução de 13%)

Outras variações

  • Gripe - Influenza (Trivalente): de R$ 38 a R$ 80 (variação de 110%)
  • Caxumba, Rubéola, Sarampo (Tríplice Viral): de R$ 60,00 a R$113,00 (variação de 88%)
  • Hepatite A Adulto: de R$ 97 a R$ 173 (variação de 78%)
  • Hepatite B Adulto: de R$ 80 a R$ 150 (variação de 87%)

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.


Publicidade