Publicidade

Estado de Minas

Equipamento da Vale pega fogo em Nova Lima e suspeita é de incêndio criminoso

Transportador de minério faz o escoamento do material dentro do complexo minerário


postado em 16/03/2019 22:57 / atualizado em 16/03/2019 23:05

Chamas altas no local do incêndio, que começou por volta das 14h30 de sexta(foto: Divulgação)
Chamas altas no local do incêndio, que começou por volta das 14h30 de sexta (foto: Divulgação)


A Vale acompanha a apuração do incêndio que atingiu uma correia transportadora de minério no Complexo Vargem Grande, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Segundo a mineradora, o fogo começou por volta das 14h30 de sexta-feira. “O incêndio foi rapidamente controlado e não houve vítimas. Há suspeitas que tenha sido um incêndio criminoso e as autoridades policias foram acionadas”, informou a Vale por meio de nota enviada à reportagem na noite deste sábado. 

O chamado Transportador de Correia de Longa Distância (TCLD) seria o responsável pela ligação entre as minas Capitão do Mato, Tamanduá e a planta de beneficiamento de Vargem Grande. 

“O Transportador é um arranjo de componentes mecânicos, elétricos e estruturas metálicas destinado à movimentação ou escoamento do nosso minério, através de uma correia que se desloca sobre tambores, roletes e mesas de deslizamento, seguindo uma trajetória predeterminada”, conforme publicação no site da mineradora. 

Funcionários trabalharam para apagar as chamas. Ninguém ficou ferido(foto: Divulgação)
Funcionários trabalharam para apagar as chamas. Ninguém ficou ferido (foto: Divulgação)


Segundo o portal, o Complexo Vargem Grande abriga o maior transportador de correia de minério de ferro da América Latina, com 9,6 mil metros e 100 quilômetros de correias em funcionamento. Mas, nesta noite, a assessoria de comunicação da mineradora ainda não tinha informações se a instalação atingida faz parte deste transportador. 

Nesta semana, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Defensoria Pública do estado ajuizaram uma ação civil pública pedindo o bloqueio de R$ 1 bilhão da Vale para Reparação dos danos materiais e morais de moradores que tiveram que deixar as casas em São Sebastião de Águas Claras, conhecido como Macacos, em Nova Lima. Na noite de 16 de fevereiro, cerca de 200 pessoas tiveram que sair de casa após uma auditoria se negar a atestar a segurança da barragem da Mina Mar Azul. 


Publicidade