Publicidade

Estado de Minas

Apesar de habeas corpus, funcionários da Vale e da Tüv Süd permanecem presos

Nota enviada pela Secretaria de Administração Prisional (Seap) confirmou que suspeitos permanecem detidos nas penitenciárias Nelson Hungria, em Contagem, e Estevão Pinto, na capital mineira


postado em 15/03/2019 19:28

Funcionários foram presos na manhã dessa quinta-feira(foto: Guilherme Paranaiba/EM/D.A Press)
Funcionários foram presos na manhã dessa quinta-feira (foto: Guilherme Paranaiba/EM/D.A Press)

 
Os 13 funcionários da Vale e da Tüv Süd, presos nesta quinta-feira (15), mesmo dia em que conseguiram habeas corpus em caráter liminar no Superior Tribunal de Justiça (STJ), seguem detidos nas penitenciárias Nelson Hungria, em Contagem, e Estevão Pinto, na capital mineira. A informação é da Secretaria de Administração Prisional (Seap). Todos são investigados no processo que apura as causas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho.

De acordo com a pasta, em nota divulgada na manhã desta sexta-feira, 15, os alvarás de soltura ainda não chegaram às unidades prisionais.  A decisão do STJ, a partir de pedido das defesas dos investigados, foi proferida por volta das 19h30, por meio do ministro Nefi Cordeiro.

Os funcionários da Vale são Artur Bastos Ribeiro, Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo, Cristina Heloiza da Silva Malheiros, Renzo Albieri Guimarães Carvalho, Joaquim Pedro de Toledo, Felipe Figueiredo Rocha, Cesar Augusto Paulino Grandchamp, Rodrigo Artur Gomes Melo, Ricardo de Oliveira e Hélio Márcio Lopes da Cerqueira. Os da Tüv Süd são Makoto Manba e André Yum Yassuda.

Os homens deram entrada no Complexo Penitenciário Nelson Hungria em Contagem, na quinta-feira, às 21h50. As duas mulheres, no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, na capital, às 21h30.


Publicidade