Publicidade

Estado de Minas

Passarela que dá acesso a estação do metrô da Lagoinha passará por obras

Segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), as intervenções vão durar aproximadamente 45 dias, e serão para 'ampliar a sensação de conforto e segurança dos usuários'


postado em 15/03/2019 16:23 / atualizado em 15/03/2019 16:33

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

A passarela que dá acesso a Estação Lagoinha do metrô, no Centro de Belo Horizonte, vai passar por obras. Segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), as intervenções vão durar aproximadamente 45 dias, e serão para “ampliar a sensação de conforto e segurança dos usuários”. No carnaval, vídeo que circulou nas redes sociais mostrou a estrutura balançando com a passagem de diversos pedestres. A Defesa Civil e a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), de acordo com a CBTU, afastaram qualquer evidência de risco da travessia.

Os preparativos das obras começaram nesta sexta-feira. “A primeira medida consiste na instalação de aparelhos de apoio, que vão promover o travamento da estrutura e impedir o movimento lateral da passarela, permitindo o início das obras. As demais etapas vão envolver trabalhos de concretagem e reforço estrutural dos pilares da passarela”, informou a CBTU.

A Companhia ressalta que as intervenções têm o objetivo de reduzir a movimentação da estrutura.  Ela é apoiada sobre uma base de Neoprene, “tipo de material construtivo próprio para obras dessa natureza e amplamente utilizada pela Engenharia para permitir a dilatação parcial da estrutura”, disse. “A CBTU esclarece que todos os acessos à Estação Lagoinha permanecerão abertos e a estação seguirá operando normalmente durante as obras”, finalizou.

Interdição anterior


As movimentações da estrutura já provocaram medo em pedestres. Durante o carnaval de 2019, um vídeo circulou nas redes sociais mostrando a passarela balançando durante a passagem de diversas pessoas. Em julho de 2014, a estrutura ficou fechada por aproximadamente cinco horas depois que pedestres denunciaram à polícia um possível deslocamento da estrutura.

Na época, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros fecharam, de forma preventiva, a passarela. Engenheiros fizeram uma análise e concluíram que a movimentação era normal, liberando novamente a passagem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade