Publicidade

Estado de Minas

Vereadores de BH montam CPI das Barragens para apurar impactos na Região Metropolitana

Comissão composta por sete parlamentares trata do rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho. Primeira reunião é nesta sexta-feira


postado em 21/02/2019 16:42 / atualizado em 21/02/2019 19:19

(foto: Mateus Parreiras/EM)
(foto: Mateus Parreiras/EM)

A Câmara Municipal de Belo Horizonte instaurou uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar os possíveis impactos do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho no abastecimento de água da capital e da região metropolitana. A primeira reunião do colegiado acontece amanhã, a partir das 14h, no Plenário Juscelino Kubitschek.

A composição da CPI foi publicada pela presidência da Casa nesta quarta-feira. A presidente presidente Nely Aquino (PRTB), designou a vereadora Bella Gonçalves (Psol) e os vereadores Bim da Ambulância (PSDB), Edmar Branco (Avante), Gabriel (PHS), Irlan Melo (PR), Wesley Autoescola (PRP) e Pedrão do Depósito (PPS).

Pedrão do Depósito vai atuar como presidente interino até a eleição do presidente e do relator da comissão, o que deve ocorrer na primeira reunião.

Outros sete parlamentares foram indicados como suplentes na CPI: Jair Di Gregório (PP), Catatau do Povo (PHS), Pedro Bueno (Pode), Carlos Henrique (PMN), Juliano Lopes (PTC), Gilson Reis (PCdoB) e Arnaldo Godoy (PT).

Brumadinho

Entre os maiores crimes ambientais e sociais já registrados em Minas Gerais, o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho registrou centenas de mortos e desaparecidos na região. Os rejeitos atingiram o leito do Rio Paraopeba e, apesar de não se poder concluir sobre os reais impactos, os vereadores defendem a urgência em se apurar os riscos gerados ao abastecimento de água em Belo Horizonte e cidades vizinhas.

Em 2015 começou o funcionamento da estrutura de captação de água da Copasa instalada no Rio Paraopeba, em Brumadinho. O Sistema Paraopeba é responsável pelo abastecimento de água para mais de dois milhões de pessoas em BH e na Região Metropolitana. Após o rompimento da barragem da Vale, a Copasa informou que a captação no Paraopeba foi suspensa para evitar contaminação.

A CPI deve também verificar a segurança de outras barragens, como a de Morro Redondo, em Rio Acima, que poderia atingir o Rio das Velhas.
 

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.
 


Publicidade