Publicidade

Estado de Minas

Vale destina R$ 2,6 milhões para ampliar assistência humanitária em Brumadinho

A ação da mineradora atende a uma determinação judicial no âmbito de ação civil pública proposta pelo Ministério Público de Minas Gerais


postado em 19/02/2019 10:00 / atualizado em 19/02/2019 10:16

A barragem da empresa se rompeu no último dia 25 de janeiro em uma tragédia que caminha para deixar um saldo de mais de 300 mortos(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
A barragem da empresa se rompeu no último dia 25 de janeiro em uma tragédia que caminha para deixar um saldo de mais de 300 mortos (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)


A Vale informou nesta terça-feira, 19, que assinou com a prefeitura de Brumadinho (MG) um termo de cooperação de R$ 2,6 milhões que prevê a contratação, pelo município, de equipes multidisciplinares para atuar nas áreas de saúde e psicossocial junto aos atingidos pelo rompimento da barragem I da Mina Córrego do Feijão.

A barragem da empresa se rompeu no último dia 25 de janeiro em uma tragédia que caminha para deixar um saldo de mais de 300 mortos. A ação da mineradora atende a uma determinação judicial no âmbito de ação civil pública proposta pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG).

No acordo, assinado na segunda-feira, 18, está previsto ainda a aquisição de equipamentos e materiais necessários na prestação dos serviços, além da alocação de 20 veículos para locomoção desses profissionais e imóveis para promoção desse atendimento emergencial.

"Essa ampliação da assistência humanitária na região contará com 142 novos servidores públicos, como médicos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, motoristas, entre outros", disse a Vale em nota nesta terça-feira, 19.

De acordo com a Vale, o município de Brumadinho promoverá a capacitação desses profissionais, com contrato vigente por seis meses, podendo ser prorrogado, caso comprovada a necessidade. Uma auditoria externa independente, contratada pela Vale, fará acompanhamento e fiscalização das atividades.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade