Publicidade

Estado de Minas

Vale começa nova vistoria de barragem em Barão de Cocais

Uma empresa especializada alemã foi contratada para analisar estabilidade da barragem. Os técnicos vão analisar a estabilidade e emitir um laudo com considerações


postado em 10/02/2019 14:54 / atualizado em 10/02/2019 15:43

Moradores foram retirados das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, em Barão de Cocais, após alarme por risco em barragem (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Moradores foram retirados das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, em Barão de Cocais, após alarme por risco em barragem (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Começou no fim da manhã deste domingo a nova inspeção na barragem da Mina de Gongo Soco para avaliação de sua estabilidade em Barão de Cocais, na Região Central do estado. De acordo com a Vale, uma empresa especializada alemã foi contratada. No fim do dia, uma nota deve ser divulgado com mais informações. Os 487 moradores evacuados de suas residências aguardam atualizações para voltar para casa.

 

As famílias saíram às pressas de casa na madrugada de sexta-feira após o acionamento dos sinais sonoros de emergência. Um áudio em altos falantes instalados na cidade alertava para o risco de rompimento da barragem. Numa escala crescente de 1 a 3 de risco, o maciço da Vale subiu do nível 1 para o nível 2. As medidas, segundo a Vale, fazem parte do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM).

A mineradora afirma que 205 pessoas, das comunidades de Socorro, Tabuleiro, Piteiras e Vila Congo, foram levadas para hotéis e 188 em casas de parentes em Barão dos Cocais e região.


Publicidade