Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de BH vai construir túneis contra enchentes na Avenida Vilarinho

Proposta de solução para o problema foi apresentada nesta manhã na sede da prefeitura. Em novembro, três pessoas morreram durante alagamento


postado em 19/12/2018 11:38 / atualizado em 19/12/2018 13:12



Dois túneis para desviar água e reservatórios. Estas são as soluções apresentadas pela Prefeitura de Belo Horizonte para acabar com os alagamentos na Avenida Vilarinho, na Região de Venda Nova, onde pelo menos três pessoas morreram durante um temporal no mês passado. As intervenções devem custar R$ 300 milhões. 

O anúncio é feito na manhã desta quarta-feira em uma entrevista coletiva na sede da PBH. A proposta é da Engesolo e será implantada pelo Executivo. O projeto criará dois túneis para desviar a água em excesso da Vilarinho para o Córrego Floresta.

Serão criadas estruturas de vazão como aberturas em praças, canteiros e vias para receber grande parte do fluxo pluvial de superfície. O Córrego Floresta vai receber alargamento e tratamento de margens com gabiões e a ponte sobre ele terá de ser elevada. Depois, ele vai desaguar novamente no Córrego Izidoro, como faria o Vilarinho.

Trecho da Avenida Vilarinho, na Região de Venda Nova(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press )
Trecho da Avenida Vilarinho, na Região de Venda Nova (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press )


O atual déficit dos sistemas de drenagem deve ser amortecido em reservatórios de detenção de cheias e com a otimização dos atuais. Entre essas estruturas previstas, a PBH já licitou as bacias de detenção do Córrego Lareira, com capacidade de 36 milhões de litros, e tratamento de fundo de vale do Córrego Marimbondo. A proposta também inclui a construção de um viaduto sobre a Rua Joaquim Clemente, no Bairro Xodó Marize, onde passa o Córrego Vilarinho. 

(foto: Mateus Parreiras/EM/DA Press)
(foto: Mateus Parreiras/EM/DA Press)


A obra debe ser licitada entre março e abril de 2019. A expectativa é de que elas sejam concluídas em um ano e meio. Como serão intervenções subterrâneas, não serão feitas desapropriações ou grandes desvios de trânsito. “Se não resolver inteiramente o problema da Vilarinho, pelo menos vai deixar de ser notícia, porque vai molhar só a sola do sapato”, comentou o prefeito Alexandre Kalil. 

(foto: Mateus Parreiras/EM/DA Press)
(foto: Mateus Parreiras/EM/DA Press)


Ver galeria . 26 Fotos Escola Municipal Francisca Magalhães Gomes teve vários danos provocados pela chuva. A instituição fica entre a Rua dos Mamoeiros e a Avenida Vilarinho, alagada ontemPaulo Filgueiras/EM
Escola Municipal Francisca Magalhães Gomes teve vários danos provocados pela chuva. A instituição fica entre a Rua dos Mamoeiros e a Avenida Vilarinho, alagada ontem (foto: Paulo Filgueiras/EM )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade