Publicidade

Estado de Minas

Homem é suspeito de matar a mulher, a filha e o genro dela na Grande BH

Outro filho da vítima, de 9 anos, e a irmã, de 7, presenciaram o crime, que aconteceu no no Bairro da Cachoeira, em Brumadinho


postado em 22/10/2018 09:42 / atualizado em 22/10/2018 22:12

Um homem de 46 anos é suspeito de matar a mulher, de 35, a filha dela, de 13, e o namorado da adolescente, de 19. O crime ocorreu na noite de domingo, no Bairro da Cachoeira, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
 
Segundo informações do boletim de ocorrência da Polícia Militar, Manoel Justino do Nascimento foi à casa da companheira, Andrine Pereira de Souza, e, chegando ao local, avistou, do lado de fora da residência, a filha  da mulher e seu genro, Richard Rean Oliveira. O suspeito teria atirado em ambos. 

Ao entrar na casa, ainda de acordo com a corporação, ele viu Andrine e atirou em sua direção. Duas crianças, também filhas de vítima, estavam na residência e presenciaram o crime. Uma delas, de 9 anos, contou à polícia que o autor tentou disparar também contra a irmã caçula, de 7, mas a arma falhou.
 
A mulher foi baleada no rosto, no pescoço e no braço esquerdo. Richard foi atingido nas costas, na nuca, no peito e no braço direito. Com ferimento no pescoço, a adolescente chegou a ser levada para Unidade de Pronto- Atendimento (UPA) de Brumadinho, onde deu entrada já sem vida. Os dois filhos sobreviventes ficaram sob a responsabilidade do pai. 

Após o crime, segundo a PM, testemunhas relataram que o suspeito fugiu em um Gol branco. Militares fizeram buscas nas proximidades da casa, mas, até o fechamento da matéria, ele não tinha sido encontrado.
Um irmão de Richard informou aos policiais militares que ouviu o suspeito dizer em um bar que mataria a mulher e quem estivesse na casa dela. Ele afirma que o relacionamento de Manoel e Andrine era conflituoso.

Em depoimento ao Estado de Minas, um amigo do jovem assassinado também ressaltou o “relacionamento complicado” que o casal vivia. Segundo ele, conhecidos acusavam o suspeito de agredir a mulher. Por fim, ele destaca o caráter do colega morto: “[ele] era um cara bom, não mexia com ninguém, não gostava de confusão”, afirmou 

A ocorrência será investigada pela 5º Delegacia da Polícia Civil de Brumadinho.
  

Crime recorrente


Esse é mais um caso de feminicídio, crime classificado com o hediondo, em Minas Gerais. Segundo o Código Penal brasileiro, feminicídio é “o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino”, isto é, quando o crime envolve “violência doméstica e familiar e/ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher”. De acordo com a Polícia Civil, foram registrados 150 casos de assassinatos desse tipo em todo o estado, em 2017. Neste ano, foram 61 homicídios consumados até junho.
 
* Estagiários sob supervisões das subeditoras Jociane Morais e Rachel Botelho

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade