Publicidade

Estado de Minas

Estradas mineiras registram 25 mortes no feriado prolongado

O número teve uma leve queda em relação ao mesmo recesso do ano passado, quando 26 pessoas perderam a vida. Mesmo assim, a média foi de seis mortes por dia em 2018


postado em 15/10/2018 17:18 / atualizado em 15/10/2018 17:36

No domingo, duas pessoas morreram na batida entre dois carros na BR-265(foto: Polícia Militar Rodoviária (PMRv) / Divulgação)
No domingo, duas pessoas morreram na batida entre dois carros na BR-265 (foto: Polícia Militar Rodoviária (PMRv) / Divulgação)

As estradas que cortam Minas Gerais novamente foram palcos de tragédias em mais uma feriado prolongado. De quinta-feira a domingo, durante a Operação de Nossa Senhora Aparecida, foram registrados 25 mortes em acidentes, uma média de seis por dia. O número teve uma leve queda em relação ao mesmo recesso do ano passado, quando 26 pessoas perderam a vida. Os dados foram divulgados na tarde desta segunda-feira pelas polícias Rodoviária Federal e Militar Rodoviária (PMRv).

As estradas estaduais e as federais sob responsabilidade do Comando do Policiamento Rodoviário (PMRv) foram mais violentas. De quinta-feira a domingo, foram registrados 20 mortes em acidentes, média de quatro por dia. O número é o mesmo do registrado no mesmo recesso do ano passado.  A operação do feriado teve início nos primeiros minutos de quinta-feira, e terminou 23h59 desse domingo. Neste período, segundo dados da PMRv divulgados na tarde desta segunda-feira, foram registrados 63 acidentes sem vítimas, 118 com pessoas feridas, e 13 com mortes. Ao todo, 202 ocupantes de veículos acidentados ficaram feridos, o número é inferior do registrado em 2017, quando 207 pessoas ficaram feridas. No ano passado, também 20 pessoas perderam a vida nas rodovias estaduais.

Já nas rodovias federais, cinco pessoas perderam a vida em acidentes. Ao todo, foram registradas 128 ocorrências. Além das mortes, 204 feridos foram socorridos. No ano passado, foram registradas 161 batidas, que resultaram em seis mortes. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) ressaltou a atenção dos motoristas durante as viagens. “Agradecemos a colaboração da maioria dos motoristas que dirigiram de forma mais consciente”, indicou.

Um dos acidentes mais graves nas estradas estaduais registrado neste ano aconteceu na BR-265,  próximo a Barroso, na Região Central de Minas Gerais. Duas pessoas morreram na hora e outras três ficaram feridas. Devido ao acidente, o trânsito chegou a ficar parcialmente interditado na estrada. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o acidente aconteceu próximo ao km 234. Testemunhas contaram que o motorista de um Gol tentou fazer uma ultrapassagem em um trecho de faixa contínua, o que é proibido. Durante a manobra, acabou atingindo de frente um outro Gol que seguia no sentido contrário.

Com o impacto da batida, duas pessoas, ainda não identificadas, morreram na hora. Outras três ficaram feridas. Duas delas foram levadas para um hospital de Barroso e outra para uma unidade de saúde de Barbacena, que fica na mesma região. Ocupantes de um dos veículos envolvidos na batida são de Tiradentes e voltavam de uma festa que aconteceu em Barroso, segundo o Corpo de Bombeiros.

Já na rodovia federal, a ocorrência mais grave aconteceu na BR-262, em Nova Serrana, na Região Centro-Oeste de Minas. Uma carreta e um carro bateram de frente na manhã de domingo. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a ocorrência aconteceu no km 458 da rodovia. Duas pessoas morreram na hora. As causas do acidente ainda estão sendo apuradas. A pista chegou a ficar totalmente interditada. Por volta das 10h40, meia pista foi liberada.

De acordo com a Triunfo Concebra, concessionária responsável pela rodovia, o acidente envolveu três veículos, sendo dois de passeio e uma carreta. Um dos automóveis fugiu do local logo após a ocorrência. Em um Uno, que acabou sendo arrastado pelo veículo de carga, duas pessoas morreram. O condutor do veículo maior ficou levemente ferido. O congestionamento no trecho chegou a aproximadamente três quilômetros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade