Publicidade

Estado de Minas

Poda mal planejada leva risco a pedestres e a passageiros de ônibus em BH

Ao executar a poda em seis árvores de grande porte, a Prefeitura de Belo Horizonte obrigou passageiros a embarcar no meio da Rua dos Tamoios. A não interdição dos passeios também trouxe riscos


postado em 13/10/2018 11:30 / atualizado em 13/10/2018 17:51

Mãe e criança precisam passar pela rua para pegar ônibus devido à poda(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Mãe e criança precisam passar pela rua para pegar ônibus devido à poda (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
A poda de seis árvores na Rua dos Tamoios, no Centro de Belo Horizonte, trouxe riscos para passageiros dos ônibus e pedestres. Essa ação, realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), não interditou os passeios e obrigou os passageiros dos ônibus a embarcar e desembarcar no meio da rua, no quarteirão entre a Avenida Afonso Pena e a Rua da Bahia.

Muitos passageiros reclamaram que os motoristas dos ônibus ao verem o ponto completamente tomado por toras de madeira e galhos de árvores repletos de folhas verdes, simplesmente não param mais. "Estou a 30 minutos esperando um ônibus parar para que eu possa embarcar. Já passaram três e nenhum deles parou. É uma falta de consideração", reclamou o engenheiro José Luiz Amaral Carneiro, de 65 anos, passageiro da Linha 8107.

O engenheiro José Luiz Amaral Carneiro reclama que os ônibus não pararam nos pontos por causa da poda(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
O engenheiro José Luiz Amaral Carneiro reclama que os ônibus não pararam nos pontos por causa da poda (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Além do engenheiro, outras pessoas se arriscaram no meio da rua para sinalizar para os motoristas de outras quatro linhas que abastecem o ponto. Até uma mãe segurando pela mão um filho pequeno precisou dividir sua atenção entre a segurança do menino e a passagem do transporte coletivo.

Em meio a essa tensão, enquanto as motosserras punham abaixo grandes galhos suspensos a cerca de 20 metros de altura, pedestres desavisados transitavam sob as árvores, sem se darem conta do perigo que corriam até chegar muito perto de onde ocorria a poda. "Isso daqui é muito perigos. Se cair um galho desses na cabeça das pessoas pode matar na hora. Só que ninguém está sabendo que não deve passar por lá, porque não interditaram o passeio", disse José Luiz Carneiro.

Segundo a PBH, a poda foi solicitada pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar, e Cidadania por questões de segurança. A ação deste sábado foi feita com apoio da Guarda Municipal, Defesa Civil e os resíduos estão sendo retirados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade