Publicidade

Estado de Minas

Crime que terminou com a morte bárbara de pai de militares foi premeditado

Segundo a Polícia Militar, um dos envolvidos no latrocínio do aposentado Hélio Leandro da Silva esteve na casa da vítima dois meses antes


postado em 10/10/2018 06:00 / atualizado em 10/10/2018 07:49

Com mobilização de 70 policiais, suspeitos de matar pai de militares foram presos(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A PRESS)
Com mobilização de 70 policiais, suspeitos de matar pai de militares foram presos (foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A PRESS)

Um crime bárbaro que começou a ser planejado dois meses antes, quando um dos envolvidos esteve na casa da vítima, “ajudando” na montagem de um guarda-roupas. De acordo com Polícia Militar, esse foi o roteiro do crime que teve como vítima o aposentado Hélio Leandro da Silva, de 64 anos, morto a pauladas na madrugada de ontem, em um condomínio rural, de Montes Claros, no Norte de Minas, próximo ao distrito de Nova Esperança. Pai de dois militares, o homem foi amarrado, pelos criminosos, assim como a mulher dele, que sobreviveu. Depois da mobilização de 70 policiais e de 30 viaturas, três suspeitos do assassinato foram presos. Dois deles foram apresentados pela Polícia Militar no início da noite de ontem. Outros dois continuavam sendo procurados.

 

De acordo com a PM, o roubo seguido de morte ocorreu por volta de 0h45 de ontem. A mulher do aposentado informou que o casal estava na sala da casa, no Condomínio Vale dos Ipês, quando os assaltantes invadiram a casa, às margens da BR-135 e distante cinco quilômetros do distrito de Nova Esperança. Segundo ela, ao perceber que os invasores estavam desarmados, Hélio reagiu.

 

Ainda conforme o relato da sobrevivente, os três homens agrediram o aposentado com pedaços de madeira. Na sequência, quando estava desacordado, o aposentado teve o pescoço, mãos e pés amarrados. A mulher contou que ela também foi amarrada e trancada em um banheiro. Quando conseguiu se soltar, percebeu que o marido estava com respiração e pulsação fracas. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas o dono da casa morreu no local.

 

Os criminosos levaram duas caminhonetes S-10, além de três televisores e objetos pessoais do casal. Um dos veículos roubados foi localizado em um matagal poucas horas depois do crime, perto da Vila Castelo Branco, na saída de Montes Claros para Januária.

 

Os três suspeitos foram detidos ontem à tarde, na região do Renascença, em Montes Claros. Os dois carros e os demais bens roubados foram recuperados. No início da noite, um adolescente de 17 anos e um homem de 34 foram apresentados na sede regional da Polícia Militar. Segundo o comandante regional da PM, coronel Evandro Borges, um terceiro envolvido, de 22,  reagiu e trocou tiros com os policiais. Ele levou seis tiros e está internado, sob escolta, na Santa Casa de Montes Claros, “mas sem correr risco de morte”, segundo o oficial. Ele revelou ainda que a PM intensificou as buscas e que prenderia os outros dois envolvidos, “em questão de horas”.

Polícia Militar mobilizou 70 homens e mulheres e 30 viaturas na caçada aos matadores do aposentado em latrocínio em Montes Claros(foto: Manoel Freitas/Divulgação)
Polícia Militar mobilizou 70 homens e mulheres e 30 viaturas na caçada aos matadores do aposentado em latrocínio em Montes Claros (foto: Manoel Freitas/Divulgação)

 

O coronel Evandro Borges disse que os três suspeitos presos confessaram o latrocínio. Conforme o oficial, o serviço de inteligência concluiu que, pelas características do crime, pelo menos um dos envolvidos teria de ter informações prévias sobre a rotina das vítimas. Assim, chegou a um dos suspeitos, que confessou ter visitado o condomínio Vale dos Ipês dois meses antes, para “ajudar” o pai dele (um marceneiro) a montar um guarda-roupas na casa do aposentado Hélio Silva. Desde então, começou a planejar o assalto,  que foi colocada em prática na madrugada desta terça.

 

Ainda na entrevista coletiva, o coronel Evandro Borges atribuiu a resposta rápida da PM,  com a identificação e prisão dos suspeitos,  à “abnegação e dedicação dos policiais”. O corpo do aposentado Hélio Silva foi enterrado no final da tarde desta terça-feira, no Cemitério do Bonfim, em Montes Claros, sob forte comoção.

Caso gerou grande repercussão no Norte de Minas(foto: Manoel Freitas/Divulgação)
Caso gerou grande repercussão no Norte de Minas (foto: Manoel Freitas/Divulgação)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade