Publicidade

Estado de Minas

Criminosos explodem bancos, fazem reféns e trocam tiros com a polícia em Machado

Assalto ocorreu durante a madrugada. Criminosos ainda renderam duas pessoas que estavam na rua


postado em 25/09/2018 09:07 / atualizado em 25/09/2018 10:51


A polícia está à procura dos criminosos que atacaram duas agências bancárias em Machado, no Sul de Minas, na madrugada desta terça-feira. Houve troca de tiros com a Polícia Militar (PM) e duas pessoas foram feitas reféns.

Segundo a polícia, pouco antes da 1h, foram recebidas diversas denúncias de que cerca de 15 homens com armas de grosso calibre e encapuzados estavam atirando nas imediações da Praça Antônio Carlos, no centro de Machado. Ao mesmo tempo, outros invadiam as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Dois homens foram feitos reféns.

De acordo com informações de moradores, as vítimas que aparecem em imagens de câmeras de segurança foram rendidas próximas a uma lanchonete. Elas foram rendidas e obrigadas a tirar as camisas e colocar as mãos na cabeça. Os criminosos apontaram um fuzil para os homens.

Pelo menos duas pessoas foram rendidas pelos criminosos, segundo moradores(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
Pelo menos duas pessoas foram rendidas pelos criminosos, segundo moradores (foto: Reprodução da internet/WhatsApp)


Os policiais seguiram para o local e foram recebidos a tiros pelos assaltantes. Os policiais revidaram e o tiroteio teria durando cerca de 40 minutos. De acordo com a PM, os criminosos fugiram em pelo menos três caminhonetes passando por uma estrada vicinal no Bairro dos Caixetas que dá acesso à Rodovia Waldemar Miguel. Essa estrada liga Machado a Serrania e Campestre. 

Até o início da manhã, os criminosos não haviam sido localizados e ainda eram alvo de rastreamento. Os gerentes das agências bancárias ficaram responsáveis por contabilizar o montante levado. 

Imagens que circulam nas redes sociais mostram criminosos atirando para o alto em uma rua da cidade(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
Imagens que circulam nas redes sociais mostram criminosos atirando para o alto em uma rua da cidade (foto: Reprodução da internet/WhatsApp)


Além de notas manchadas, a perícia da Polícia Civil recolheu munições de armas calibre 12, ponto 40 e até de um fuzil 556, além de miguelitos, artefatos feitos com pregos para furar pneus das viaturas. Ainda segundo a polícia, as estruturas das agências foram danificadas pelas explosões e os sistemas de monitoramento por câmeras foram atingidos por tiros. 

Além das duas agências bancárias, as vitrines de algumas lojas, de uma igreja presbiteriana, um semáforo, um transformador de energia elétrica e uma caminhonete Strada também foram alvos de tiros. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade