Publicidade

Estado de Minas

Canteiros de obras para a construção do Novo Bento Rodrigues estão concluídos

Supressão vegetal do terreno e a terraplenagem preparam o local para a composição dos lotes, das ruas principais e obras de infraestrutura. Previsão é que as obras tenham duração de até 24 meses


postado em 16/09/2018 06:00 / atualizado em 16/09/2018 08:42

Trechos de plantio de eucalipto com resquícios de mata atlântica são desmatados para instalação do povoado (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Trechos de plantio de eucalipto com resquícios de mata atlântica são desmatados para instalação do povoado (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Mariana - Na estrada que liga a MG-129 ao assentamento de Novo Bento Rodrigues, em Mariana, o movimento de maquinário e operários já é intenso. A antiga reserva de eucaliptos, já com alguma recomposição de mata atlântica, pertencia à Arcelor Mittal e foi adquirida pela Fundação Renova para receber 225 famílias originárias de Bento Rodrigues, o subdistrito mais devastado pelo rompimento da Barragem do Fundão, em 2015.


Ao longo da estrada de terra, uma grande faixa vegetal já foi derrubada para dar lugar à estrutura da estrada e de suas drenagens e acostamentos, com a lenha produzida sendo estocada em pilhas por carregadeiras mecânicas. Aos poucos, clareiras vão surgindo na mata nos locais onde máquinas pesadas abrem caminho para o novo povoado de Mariana. De acordo com a Fundação Renova, a supressão vegetal do terreno e a terraplenagem preparam o local para a composição dos lotes, das ruas principais e obras de infraestrutura.

As obras do reassentamento tiveram início logo após a emissão do alvará de construção pela Secretaria Municipal de Obras da Prefeitura de Mariana, em 1º de agosto. Os canteiros de obras da Fundação Renova e da empresa de infraestrutura foram concluídos. O efetivo de operários, técnicos e de outros colaboradores chega a 345, distribuídos em 16 empresas. O índice de contratação de mão de obra local é de 83% e estima-se a geração de 2 mil postos de trabalho. Trafegam pelo local 25 caminhões e 16 outros veículos, além de oito escavadeiras, uma havester (espécie de colheitadeira usada no corte de árvores), três motoniveladoras, quatro ônibus, cinco tratores e três vans.

“Todas as casas serão entregues de uma só vez, a pedido dos moradores. A previsão é que as obras tenham duração de 22 a 24 meses, prazo que está sendo construído no grupo de trabalho supervisionado pelo Ministério Público com a participação dos atingidos”, informou a Renova. O destino do antigo local onde ficava Bento Rodrigues ainda está indefinido e, segundo a fundação, será determinado “pelos atingidos, governo do estado de Minas Gerais e Ministério Público”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade