Publicidade

Estado de Minas

Fã de Anitta, mineira que fez transplante de medula óssea recebe visita da cantora

Sara Essaradi, de 9 anos, está em fase de tratamento de uma leucemia, que enfrenta pela segunda vez


postado em 03/09/2018 17:41 / atualizado em 03/09/2018 20:20

Anitta se encontrou com a garota na última sexta-feira(foto: Arquivo Pessoal)
Anitta se encontrou com a garota na última sexta-feira (foto: Arquivo Pessoal)
A cantora Anitta realizou o sonho de uma fã mineira que se recupera de um transplante de medula óssea. Na última sexta-feira, a artista fez uma visita no flat onde Sara Essaradi, de 9 anos, está morando temporariamente com a família, em São Paulo.



A menina está em fase de tratamento de uma leucemia, que enfrenta pela segunda vez. Em 2016, a garota conseguiu se curar, mas em abril deste ano, o câncer foi novamente detectado. Sua tia, Débora Martins, iniciou a campanha #umamedulaparasara no intuito de estimular as pessoas a fazerem o cadastro para doação na Fundação Hemominas, mas o cadastro com mais compatibilidade era o da mãe de Sara, Cristiane de Cassia Silva, que fez a doação há um mês.

Depois de a tia publicar um vídeo da fã dançando uma música de Anitta nas redes sociais, foi criada a campanha #Anittafalacomasara, pedindo que a cantora gravasse uma mensagem em vídeo para a menina. O vídeo viralizou e chegou até a cantora, que se sensibilizou e enviou a mensagem.

No vídeo enviado, Anitta deixou uma promessa no final: "um dia a gente vai se conhecer". Duas semanas depois, a cantora fez uma visita de surpresa para a garota, com o intuito de contribuir com a autoconfiança e ajudar na sua recuperação.

A família gravou a chegada da artista e a reação de Sara, que ficou muito feliz com a surpresa. Segundo Débora Martins, a cantora ficou cerca de 20 minutos conversando com a menina. A tia também conta de sua satisfação em relação à atitude da cantora: "achei bacana que a Anitta não postou nada em suas redes sociais, que ela não fez isso para se promover".

A menina Sara continuará o tratamento até novembro. Os médicos afirmam que ela está se recuperando muito bem e, se continuar assim, não haverá necessidade de prolongar o tempo de tratamento. O Instagram da campanha (@umamedulaparasara) agora é usado para conscientizar as pessoas a se cadastrarem no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), que reúne as informações (nome, endereço, resultados de exames, características genéticas) de pessoas que se voluntariam a doar medula para pacientes que precisam do transplante.

Para doar a medula óssea, é necessário ter entre 18 e 55 anos, boa saúde, não apresentar doenças infecciosas ou hematológicas e comparecer a uma das unidades do Hemominas portando documento de identidade oficial com foto. Outras informações podem ser consultadas no site do Hemominas.

* A estagiária está sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade