Publicidade

Estado de Minas

Ônibus desgovernado bate em carro e atinge casa no Bairro Goiânia

Duas pessoas ficaram feridas no acidente. Veículo estava no ponto final, sem motorista, quando desceu a rua


postado em 22/08/2018 08:58 / atualizado em 22/08/2018 13:21

Ver galeria . 15 Fotos Um ônibus da linha 5503 B, que estava parado no ponto final no Bairro Goiânia, Região Nordeste de BH, desceu a rua desgovernado e atingiu um táxi e uma casa nesta quarta-feira. Duas pessoas ficaram feridasPaulo Filgueiras/EM/DA Press
Um ônibus da linha 5503 B, que estava parado no ponto final no Bairro Goiânia, Região Nordeste de BH, desceu a rua desgovernado e atingiu um táxi e uma casa nesta quarta-feira. Duas pessoas ficaram feridas (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press )


Duas pessoas ficaram feridas depois que um ônibus desceu desgovernado uma rua do Bairro Goiânia, Região Nordeste de Belo Horizonte, no início da manhã desta quarta-feira.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a informação é de que por volta das 6h20, um veículo da linha 5503 B (Goiânia B) que estava estacionado no ponto final, sem o motorista, desceu a Rua Maria do Nascimento Abreu, bateu em um táxi e colidiu contra a fachada de uma casa. 

As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os feridos são uma mulher de 38 anos que fraturou o tornozelo direito e foi levada para o Hospital João XXIII, e um adolescente de 17 anos com contusão no cotovelo esquerdo. Ele foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. Os nomes das vítimas não foram divulgados.

O taxista Helon da Silva Santana, de 55 anos, disse que parou a cerca de seis metros de distância do ônibus para pegar um passageiro quando foi surpreendido pela descida do coletivo. “O motorista deixou o freio de mão puxado com o ônibus esquentando para fazer a leitura da roleta. O freio de mão não suportou e começou a descer devagarinho. Fui dando ré no meu carro e o ônibus começou a atingir a minha frente. Pensei, 'vou jogar para o meio fio'. Desviei o ônibus de descer”, contou Santana. Segundo ele, foi o táxi que evitou que o ônibus continuasse descendo a rua e atingisse mais veículos ou outros imóveis. 

Ao contrário do relato encaminhado aos bombeiros de que o veículo estava vazio, Santana viu que além do motorista e do cobrador, havia duas passageiras no ônibus. Todos os ocupantes tiveram que saltar do coletivo. “Uma quebrou o pé e a outra teve uns arranhões quando pulou do ônibus”, descreveu. O taxista afirmou não ter visto o adolescente citado pelo Samu. Ele espera ser ressarcido pela empresa responsável pela linha. “O motorista tinha que ter ficado no volante até o carro esquentar, ou desligar e deixar engrenado”, comentou, após afirmar que também tem experiência na condução de ônibus. 

Os militares foram acionados para acompanhar a retirada do ônibus devido ao risco de desabamento. A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) de Belo Horizonte disse que o veículo atingiu a garagem do imóvel, destruindo elementos estruturais e construtivos. Às 9h46, a perícia ainda era aguardada no local. Parte da via precisou ser interditada para a retirada do ônibus, que já havia sido realizada por volta das 11h30. Ainda segundo a Defesa Civil, uma nova avaliação depois desse procedimento, mas até o início da tarde o resultado não havia sido divulgado.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) informou que a empresa de ônibus acionou a perícia para identificar as causas do acidente, que ainda são desconhecidas, segundo a entidade. “A empresa já tomou todas as providências nomeando um funcionário para prestar todo apoio às pessoas envolvidas, principalmente nos casos que tenham ocorrido danos físicos ou materiais”, finaliza. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade