Publicidade

Estado de Minas

Ônibus desgovernado bate em carro e atinge casa no Bairro Goiânia

Duas pessoas ficaram feridas no acidente. Veículo estava no ponto final, sem motorista, quando desceu a rua


postado em 22/08/2018 08:58 / atualizado em 22/08/2018 13:21

Ver galeria . 15 Fotos Um ônibus da linha 5503 B, que estava parado no ponto final no Bairro Goiânia, Região Nordeste de BH, desceu a rua desgovernado e atingiu um táxi e uma casa nesta quarta-feira. Duas pessoas ficaram feridasPaulo Filgueiras/EM/DA Press
Um ônibus da linha 5503 B, que estava parado no ponto final no Bairro Goiânia, Região Nordeste de BH, desceu a rua desgovernado e atingiu um táxi e uma casa nesta quarta-feira. Duas pessoas ficaram feridas (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press )


Duas pessoas ficaram feridas depois que um ônibus desceu desgovernado uma rua do Bairro Goiânia, Região Nordeste de Belo Horizonte, no início da manhã desta quarta-feira.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a informação é de que por volta das 6h20, um veículo da linha 5503 B (Goiânia B) que estava estacionado no ponto final, sem o motorista, desceu a Rua Maria do Nascimento Abreu, bateu em um táxi e colidiu contra a fachada de uma casa. 

As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os feridos são uma mulher de 38 anos que fraturou o tornozelo direito e foi levada para o Hospital João XXIII, e um adolescente de 17 anos com contusão no cotovelo esquerdo. Ele foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. Os nomes das vítimas não foram divulgados.

O taxista Helon da Silva Santana, de 55 anos, disse que parou a cerca de seis metros de distância do ônibus para pegar um passageiro quando foi surpreendido pela descida do coletivo. “O motorista deixou o freio de mão puxado com o ônibus esquentando para fazer a leitura da roleta. O freio de mão não suportou e começou a descer devagarinho. Fui dando ré no meu carro e o ônibus começou a atingir a minha frente. Pensei, 'vou jogar para o meio fio'. Desviei o ônibus de descer”, contou Santana. Segundo ele, foi o táxi que evitou que o ônibus continuasse descendo a rua e atingisse mais veículos ou outros imóveis. 

Ao contrário do relato encaminhado aos bombeiros de que o veículo estava vazio, Santana viu que além do motorista e do cobrador, havia duas passageiras no ônibus. Todos os ocupantes tiveram que saltar do coletivo. “Uma quebrou o pé e a outra teve uns arranhões quando pulou do ônibus”, descreveu. O taxista afirmou não ter visto o adolescente citado pelo Samu. Ele espera ser ressarcido pela empresa responsável pela linha. “O motorista tinha que ter ficado no volante até o carro esquentar, ou desligar e deixar engrenado”, comentou, após afirmar que também tem experiência na condução de ônibus. 

Os militares foram acionados para acompanhar a retirada do ônibus devido ao risco de desabamento. A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) de Belo Horizonte disse que o veículo atingiu a garagem do imóvel, destruindo elementos estruturais e construtivos. Às 9h46, a perícia ainda era aguardada no local. Parte da via precisou ser interditada para a retirada do ônibus, que já havia sido realizada por volta das 11h30. Ainda segundo a Defesa Civil, uma nova avaliação depois desse procedimento, mas até o início da tarde o resultado não havia sido divulgado.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) informou que a empresa de ônibus acionou a perícia para identificar as causas do acidente, que ainda são desconhecidas, segundo a entidade. “A empresa já tomou todas as providências nomeando um funcionário para prestar todo apoio às pessoas envolvidas, principalmente nos casos que tenham ocorrido danos físicos ou materiais”, finaliza. 


Publicidade