Publicidade

Estado de Minas

Polícia vai apurar se ato de vandalismo provocou alarme falso de rompimento de barragem

Danos em mina da CSN, em Congonhas, poderia ter acionado sirene que alerta sobre vazamento em reservatório de minério, que fica sobre área residencial na cidade


postado em 04/08/2018 20:31

Barragem está 250 metros de área residencial com quase 5 mil moradores(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press)
Barragem está 250 metros de área residencial com quase 5 mil moradores (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press)
A Polícia Civil de Congonhas, na Região Central, vai investigar um crime de danos ocorrido em mina da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Há suspeitas de que a ação de vândalos pode ser a causa do acionamento indevido de uma sirene de alerta de rompimento de barragem de rejeito de minério, que levou pânico a moradores do Residencial Gualter Monteiro e Bairro Cristo Rei na cidade.

O acionamento do alarme foi por volta das 13h15, quando teria ocorrido o ato de vandalismo. O sistema, de cinco sirenes, foi instalado depois de questionamentos sobre a estabilidade do reservatório de casa de Pedras, que fica distante 250 metros de uma área residencial, com 4,8 mil pessoas.

Desde 2013, o Ministério Público Estadual de Minas Gerais tem acompanhado a movimentação da barragem e determinando medidas de segurança, para que a empresa siga operando no local. Entre os acordo, está a implantação de um plano de evacuação em caso de rompimento do reservatório.

No domingo passado, foi realizada simulação de acidente, com abandono da área, porém, o número de participantes foi bem abaixo do esperado, apesar da importância da ação preventiva. A CSN foi procurada para se manifestar sobre o assunto, mas não retornou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade