Publicidade

Estado de Minas

BHP é alvo de ação coletiva na Austrália pela tragédia de Mariana

A ação coletiva australiana alega que houve problemas com a represa nos anos anteriores a 2015 e que a BHP deveria ter levado os riscos em conta e informado os investidores


postado em 23/07/2018 06:12 / atualizado em 23/07/2018 09:05

Ver galeria . 24 Fotos Rompimento de barragens de Fundão e Santarém causa enxurrada de lama e destrói o distrito de Bento Rodrigues divulgação/Corpo de Bombeiros
Rompimento de barragens de Fundão e Santarém causa enxurrada de lama e destrói o distrito de Bento Rodrigues (foto: divulgação/Corpo de Bombeiros )

A mineradora australiana BHP anunciou nesta segunda-feira que vai se opor a uma ação judicial coletiva apresentada na Austrália, que a acusa de ter descumprido suas obrigações de informação, assim como de fraude, na letal catástrofe ambiental em Mariana, por sua filial Samarco.

Dezenove pessoas morreram por causa do tsunami de dejetos tóxicos causado pelo rompimento da Barragem do Fundão, em novembro de 2015. 


A BHP e a Vale, coproprietárias da Samarco, chegaram no mês passado a um acordo com as autoridades brasileiras para resolver uma ação civil de R$ 20 bilhões pela tragédia.


A ação coletiva australiana alega que houve problemas com a represa nos anos anteriores a 2015 e que a BHP deveria ter levado os riscos em conta e informado os investidores.


O desastre provocou uma forte queda nas ações da BHP, motivo pelo qual cerca de 3 mil investidores se associaram para apresentar uma ação coletiva na Justiça.



 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade