Publicidade

Estado de Minas

BR-262 é liberada 16 horas após acidente com carreta

O acidente aconteceu em Bom Despacho, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais. O motorista do veículo, que estava com sintomas de ter consumido bebidas alcoólicas, foi preso


postado em 22/06/2018 17:06 / atualizado em 22/06/2018 19:15

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Depois de mais de 16 horas interditada, devido ao tombamento de uma carreta carregada de etanol, a BR-262 foi liberada na tarde desta sexta-feira. O acidente aconteceu em Bom Despacho, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais. O motorista do veículo, que estava com sintomas de ter consumido bebidas alcoólicas, foi preso. Ele foi liberado depois de pagar fiança.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu por volta de 23h50 dessa quinta-feira, na altura do km 488. “O semi reboque se desprendeu do restante do veículo e uma das partes da carreta tombou,” explicou o tenente-coronel Anderson Passos, comandante do Batalhão do Corpo de Bombeiros de Uberaba. Após o acidente, o motorista da carreta, que, segundo os Bombeiros, apresentava sintomas de ter consumido bebidas alcoólicas, fugiu. O homem, cuja identidade ainda não foi divulgada, foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Nova Serrana, pagou fiança estipulada em dois salários mínimos e foi liberado.

Os bombeiros tiveram trabalho para a liberação da pista. “Tivemos grande dificuldade para proceder o aterramento do caminhão, que está acidentado. Então, foram necessárias várias modificações para conseguirmos chegar na condição de segurança para realizar o transbordo”, disse o tenente-coronel. Os trabalhos foram encerrados 15h50, quando a rodovia foi liberada.

Devido a interdição, os motoristas tiveram que fazer desvios. O trânsito ficou congestionado. A PRF não informou qual o tamanho que chegou as filas.

Longos congestionamentos foram registrados na rodovia(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Longos congestionamentos foram registrados na rodovia (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade