Publicidade

Estado de Minas

Testes com sirenes de alerta mobilizam vizinhos de barragem em Congonhas

Ação faz parte do plano de contingência da CSN em caso de um eventual vazamento no reservatório da mina Casa de Pedras. Empresa, porém, garante a estabilidade da área destinada aos rejeitos de minério


postado em 17/06/2018 19:13 / atualizado em 17/06/2018 20:04

Teste de equipamentos reuniu representantes da prefeitura e empresa para analisar eficácia do sistema(foto: Prefeitura Contagem/Divulgação)
Teste de equipamentos reuniu representantes da prefeitura e empresa para analisar eficácia do sistema (foto: Prefeitura Contagem/Divulgação)
Um importante passo foi dado para atender o Plano de Emergência da Barragem de Casa de Pedra, em Congonhas, que pertence à Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Já estão funcionando as cinco sirenes instaladas em pontos estratégicos da cidade para, num caso de estouro do reservatório de rejeito de minério, como ocorrido em novembro de 2015 em Mariana, alertem os moradores vizinhos.

No sábado, foram realizados os testes com os equipamentos preventivos. Além do toque das sirenes, cerca de 50 balizadores se posicionaram em locais estratégicos para informar e tranquilizar sobre a simulação. Eles também realizaram pesquisas junto à comunidade, para analisar a eficácia do plano de contingência.

De acordo com a prefeitura local, em uma avaliação inicial, foi possível concluir que todos os aparelhos tocaram e a percepção do som foi possível dentro e fora das edificações. O som da sirene, em alguns pontos, ofuscou a mensagem de alerta de um carro de som, mas foi compensado por sinalização visual. 

Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Neylor de Souza Aarão, a ação realizada levou em conta uma emergência dentro da Barragem de Casa de Pedra, que pode submeter a comunidade a uma situação de risco. “Quando temos uma cultura de prevenção, em uma situação de emergência nós saberemos como nos comportar. Se não tem esse treinamento e esses testes, a situação fica crítica. Vamos mensurar agora e corrigir o que for necessário.”

 Já o gerente-geral de Sustentabilidade da CSN, Eduardo Sanches, disse que a empresa e a prefeitura estão unindo esforços para atuar de forma integrada com outras empresas e órgãos públicos. “Começamos a perceber uma evolução na percepção das pessoas em relação ao treinamento. Então já percebemos que as pessoas entendem o simulado como algo natural”, assinalou.

Segundo Sanches, a barragem tem a estabilidade garantida. “Seus índices de segurança superam os limites mínimos especificados pelas normas governamentais. Temos controle absoluto da barragem e garantimos a segurança da comunidade”, completou.

As sirenes estão nos seguintes locais: no Bairro Lucas Monteiro, na barragem, no Fraile (área interna da CSN próxima à comunidade), próxima ao carregamento da empresa Ferrous e a quinta no antigo Bairro Plataforma.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade