Publicidade

Estado de Minas

Aulas nas Umeis voltam nesta sexta-feira; Kalil diz que é 'vitória da categoria'

Categoria, que cruzou os braços por mais de 50 dias, aceitou proposta da PBH


postado em 14/06/2018 16:38 / atualizado em 14/06/2018 17:34

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
As aulas nas Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) voltam nesta sexta-feira. É que os professores decidiram, na tarde desta quinta-feira, aceitar a proposta feita pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) em reunião feita entre o prefeito Alexandre Kalil (PHS), o secretariado e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sind-Rede). O chefe do Executivo publicou no Twitter que "a carreira está valorizada de um jeito que a Prefeitura pode pagar".

Conforme o Sind-Rede, os profissionais que queriam, a princípio, carreira única para os educadores da rede municipal, aceitaram a proposição feita pela PBH e devem subir oito níveis na carreira e atingir um reajuste de 80% até 2020. Trata-se de um escalonamento, rumo à equiparação dos salários dos professores da educação infantil com os educadores do ensino fundamental.

A proposta é fruto de um movimento de 51 dias por algo muito além de aumento salarial. Em jogo, estava a valorização da carreira da educação infantil, prevista no Plano Nacional de Educação (PNE). Os salários não serão igualados em 100%, conforme queriam as professoras e exige o PNE, mas o quadro avança e deixa Belo Horizonte bem perto de cumprir as metas.

Atualmente, o salário bruto da educação infantil é de R$ 1.451,93 e o do nível fundamental, de R$ 2,2 mil. Para o ensino infantil, o concurso da PBH exige formação de nível médio, enquanto para as crianças a partir de 6 anos é exigida a graduação. A reivindicação é amparada pelo PNE, aprovado em 2014.

Apesar de aceitos nesta quinta-feira, todos os pontos do acordo deverão ser incorporados em forma de emenda ao Projeto de Lei 442, que será retomado na Câmara Municipal e trata das alterações na carreira das servidoras da educação infantil. O ofício deve ser encaminhado na semana que vem para a Casa.

POSICIONAMENTO O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil, em uma publicação logo após o término da assembleia dos professores, afirmou que recebia a notícia do fim da greve "com alegria e humildade". "A carreira está valorizada, de um jeito que a Prefeitura pode pagar", afirmou Kalil. Segundo ele, todos sofreram com o período em que os professores cruzaram os braços e que essa é uma "vitória da categoria". "Bola pra frente."



* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade