Publicidade

Estado de Minas GREVE DOS CAMINHONEIROS

Avião da FAB sai de Montes Claros para levar remédios e insumos para Pernambuco

Foi o segundo carregamento de medicamentos, feito por via área, para o estado nordestino nesta semana, saindo de Minas Gerais


postado em 31/05/2018 16:19 / atualizado em 31/05/2018 17:30

(foto: Administração do Aeroporto de Montes Claros/ Divulgação)
(foto: Administração do Aeroporto de Montes Claros/ Divulgação)

Um avião C 130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) partiu do aeroporto de Montes Claros, no Norte de Minas, nesta quinta-feira, em direção Pernambuco, transportando 15 toneladas de medicamentos e insumos, enviados pelo Ministério da Saúde, para o atendimento a pacientes com problemas renais, submetidos ao tratamento de hemodiálise. O avião cargueiro, que saiu da cidade no final da manhã, chegou ao Aeroporto de Guararapes, em Recife, às 14h40.

Foi o segundo carregamento de medicamentos, feito por via área, para o estado nordestino nesta semana, saindo de Minas Gerais, por conta da greve dos caminhoneiros. Uma outra aeronave da FAB saiu de Montes Claros na madrugada da útima terça-feira em direção a Recife, levando oito toneladas de medicamentos. Com isso, foram transportadas pela Força Aerea Brasileira 23 toneladas de produtos médicos destinados a pacientes renais.

O Ministério da Saude informou que o objetivo da operação é garantir a continuidade do tratamento de pacientes renais crônicos e impedir que eles sofram qualquer risco por causa de atraso na chegada de medicamentos e insumos usados na hemodiálise. A pasta argumenta que decidiu recorrer á FAB, segunda-feira, ainda no oitavo dia da greve dos caminhoneiros, ao verificar que a carga de medicamentos estava "presa" em Montes Claros, devido à paralisação nas estradas que, somente na quarta-feira, começaram a ser liberadas no Norte de Minas, após interferência das forças de segurança.

Os produtos transportados pela FAB são destinados à Clínica Nefrológica de Caruaru, a 138 quilômetros de Recife, que atende pacientes da região do agreste pernambucano. Por conta do movimento grevista dos caminhoneiros, a unidade ficou quase desabastecida no início desta semana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade