Publicidade

Estado de Minas

Minas tem 10 rodovias com concentração de caminhoneiros, diz PM

De acordo com o gabinete de crise estadual, 37 municípios decretaram estado de calamidade pública e outros 244 proclamaram situação de emergência desde o início do movimento


postado em 31/05/2018 13:53 / atualizado em 31/05/2018 16:08

Paralisação entra no 11º dia e já afetou diferentes setores nacionais, desde o abastecimento das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais até os postos de combustíveis(foto: Guilherme Paranaíba/EM/DA Press.)
Paralisação entra no 11º dia e já afetou diferentes setores nacionais, desde o abastecimento das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais até os postos de combustíveis (foto: Guilherme Paranaíba/EM/DA Press.)

O gabinete de crise do governo de Minas Gerais, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), divulgou na manhã de hoje os números atualizados da paralisação dos caminhoneiros no estado. De acordo com o boletim, até às 9h, segundo a Cedec, 10 rodovias mineiras tinham interdição de veículos: seis federais e quatro estaduais. No meio da tarde, a Polícia Militar de Minas Gerais corrigiu a informação: há, de acordo com o major Flávio Santiago, 10 pontos de concentração de caminhoneiros. (*)

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e as concessionárias responsáveis pelas BRs 040, 050 e 381 afirmam que não há obstruções nas rodovias federais do estado.


Quanto às manifestações, apenas uma foi registrada, justamente a dos petroleiros da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na Grande BH. Em seu 11º dia, a paralisação dos caminhoneiros resultou em 37 decretos de calamidade pública proclamados por prefeitos mineiros. Outras 244 cidades também declararam situação de emergência pelo desabastecimento.


De acordo com o gabinete de crise, Minas Gerais registrou seis ocorrências de destaque até aqui. Nenhuma delas está em andamento. Na primeira delas, em Conceição do Mato Dentro, na região Central, uma pessoa morreu atropelada durante os protestos no último dia 24.


Dois dias depois, 26, houve apreensão de 700 litros de combustível armazenado e comercializado ilegalmente em Paracatu, no Noroeste do estado. A ocorrência terminou com dois suspeitos presos.

 

Nesta segunda-feira, o comitê de crise registrou nova ocorrência na BR-259, em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. Uma arma de fogo guardada em uma caminhonete foi apreendida, enquanto o dono do veículo foi detido.

Na mesma data, um caminhoneiro foi preso por disparar um tiro contra manifestantes na BR-040, em Esmeraldas, na Grande BH. As autoridades apreenderam a arma e removeram o veículo.


Ontem, em Belo Horizonte, se registraram três denúncias de prática de preços abusivos, durante a venda de combustíveis.

Afetado nos últimos dias pelo ato dos caminhoneiros, o aeroporto de Confins informou seis atrasos de voos. Porém, se trata de reorganização da malha aérea, uma vez que os tanques de combustível estão normalizados.


A mesma situação é vista na Central de Abastecimento de Minas Gerais (CeasaMinas), além da avicultura, bovinocultura e suinocultura, que estão com fluxos regularizados.

 

O gabinete já funciona desde o último dia 23 a pedido do governador Fernando Pimentel (PT). Representantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e das secretarias de Governo (Segov), de Saúde (SES-MG), de Transportes e Obras Públicas (Setop), de Educação (SEE), de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), e de Segurança Pública (Sesp), fazem parte do grupo.

____
(* A primeira versão deste texto, com o título Minas tem 10 rodovias interditadas, diz gabinete de crise do estado, foi corrigida às 16h03 de 31/5/2018)

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade