Publicidade

Estado de Minas

Motorista xinga PM e é agredido na fila de posto em Nova Lima

Condutor que aguardava abastecimento chamou o militar de 'babacão'. O policial, em seguida, foi para cima do homem


postado em 30/05/2018 10:50 / atualizado em 30/05/2018 16:59


Um vídeo gravado na madrugada desta quarta-feira (30) mostra uma confusão envolvendo policiais militares e motoristas que aguardam em fila para abastecer em um posto na MG-030, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Nas imagens, é possível perceber que dezenas de carros formaram uma fila à direita das pistas para abastecer posto Kabuto, situação comum devido à greve dos caminhoneiros e o desabastecimento.

Em seguida, uma viatura da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) passa pela estrada e parece que o militar ofendido está sentado no banco do passageiro e anotando as placas para aplicação de multas. 

Percebendo a situação, um motorista mais exaltado diz: “Aí pessoal. A situação do país e o babacão ai multando os outros”, disse o condutor, apontando para o policial. Após o xingamento, o policial desce da viatura e parte para cima do motorista questionando: “Quem é o babacão?”. 

Apesar de não ser possível ver nas imagens, o motorista, que não tem o rosto mostrado, acusa os militares: “Meteram o spray de pimenta no meu rosto ainda. Cara doido.” 

Questionada sobre a situação, a Polícia Militar informou que não foi possível apurar se o motorista foi preso e se multas foram aplicadas. A situação se deve ao empenho da corporação nas escoltas de caminhões. 
(foto: Reprodução/Youtube)
(foto: Reprodução/Youtube)

Porém, segundo major Flávio Santiago, porta-voz da corporação, houve um “claro desacato a autoridade policial, e ele poderia ter feito a prisão”, disse à reportagem. “A opção foi dispersar para que ele pudesse continuar o trabalho no local, garantindo a segurança daquelas pessoas”, explicou. 

Ainda conforme o major Santiago, veículos em pane seca (com falta de combustível) parados em vias de trânsito podem ser multados. Mas devido à situação de desabastecimento, a situação é passível de interpretação. 

“O policial militar analisa sempre as leis pelos seus aspectos morais e passa a ser um operador do estado, fazendo uma avaliação de cenário. Nesse sentido, multar pessoas que estão com o carro sem combustível em estado de crise, não é moral, então não tem auto de infração”, explicou Flávio Santiago. 

Contudo, segundo o militar, a aplicação da multa é prevista em lei e não pode ser considerada irregular. 
 
*Estagiário sob supervisão da subeditora Regina Werneck 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade