Publicidade

Estado de Minas

Greve dos caminhoneiros pode afetar ônibus de BH, dizem empresas

Sindicato diz que empresas de transporte da capital já enfrentam falta de combustível. Entidade do transporte da Grande BH também relata o problema


postado em 23/05/2018 12:46 / atualizado em 23/05/2018 13:05

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press - 30/04/2018)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press - 30/04/2018)

A greve dos caminhoneiros em Minas Gerais e mais de 20 estados pode prejudicar o quadro de horários das viagens de ônibus em Belo Horizonte. Quem faz o alerta é o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH). 

“Em virtude da paralisação dos caminhoneiros contra a política de reajuste de preço do óleo diesel e dos bloqueios promovidos pelos grevistas nos acessos às distribuidoras de combustíveis, as empresas operadoras do sistema de transporte coletivo urbano por ônibus de Belo Horizonte estão enfrentando processo de desabastecimento, que pode inviabilizar o cumprimento do quadro de horário de viagens na integralidade”, explicou a entidade, por meio de nota divulgada no início da tarde desta quarta-feira. 

O SetraBH afirma que está empenhado em buscar soluções para que, em caso de desabastecimento, a continuidade dos serviços de transporte não seja comprometida. 

Os caminhoneiros protestam contras as altas consecutivas no preço do combustível. Nesta quarta, o movimento chegou ao Anel Rodoviário. Também na BR-381, nas proximidades da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na Região Metropolitana, paralisação de caminhoneiros provoca congestionamento no local.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram), que representa as companhias que atuam nas cidades da Grande BH, também divulgou uma nota relatando o processo de desabastecimento. “A situação é grave e pode comprometer os serviços de transporte prestados à população da região metropolitana de Belo Horizonte. O Sintram lamenta o cenário da falta de combustíveis gerada pelas paralisações e conta com a compreensão dos usuários do transporte coletivo por eventuais transtornos causados”, diz o texto. 
 
O em.com.br entrou em contato com a BHTrans e aguarda resposta.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade