Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende suspeito de aplicar golpe do 'chupa-cabra' em idosa

Idosa teria caído no golpe enquanto realizava transações bancárias em caixa eletrônico na Região Centro-Sul de BH. Suspeito teria sacado mais de R$ 12 mil reais da conta da vítima


postado em 09/04/2018 20:45 / atualizado em 09/04/2018 22:14

Idosa teria caído no golpe enquanto realizava transações bancárias em caixa eletrônico na Região Centro-Sul de BH(foto: Polícia Civil/ divulgação)
Idosa teria caído no golpe enquanto realizava transações bancárias em caixa eletrônico na Região Centro-Sul de BH (foto: Polícia Civil/ divulgação)
Um homem de 25 anos foi preso preventivamente suspeito de aplicar o golpe, conhecido como "chupa-cabra", em uma idosa. Ele teria sacado mais de R$ 12 mil reais da conta da vítima. A Polícia Civil realizou uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira para detalhar como o crime teria acontecido. 

De acordo com o delegado responsável pelo caso Leandro Alves, em 23 de setembro do ano passado, a idosa teria caído no golpe enquanto realizava transações bancárias em um caixa eletrônico na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

"Ao realizar um saque, a vítima teve o cartão preso na máquina. Depois disso, um homem, que estava na agência, teria oferecido ajuda para que ela fizesse uma ligação para a agência bancária e, assim, resolvesse o problema", contou o delegado. Sem desconfiar, a idosa teria aceitado a ajuda e fez a ligação. Do outro lado da linha, uma mulher, que se identificou como funcionária do banco, e teria pedido dados da vítima e disse que o problema seria resolvido posteriormente.

Após recolher os dados do cartão, segundo a polícia, o suspeito realizou dois saques no valor de R$ 1 mil; uma compra no valor de R$ 9.799; outra no valor de R$ 419 e um abastecimento no valor de R$ 50.

A última parada do suspeito teria ocorrido em um posto de gasolina. “Imagens do estabelecimento mostram a placa do veículo do investigado, assim como características repassadas pela vítima como uma tatuagem no braço”, disse o delegado. Após a passagem no posto, ele teria ido para Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas – onde foi preso.

As investigações continuam com o intuito de identificar outras pessoas que teriam participado da ação criminosa.

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade