Publicidade

Estado de Minas

Abastecimento de água é retomado provisoriamente em Santo Antônio do Grama

Cidade da Zona da Mata ficou sem fornecimento de água depois de rompimento de mineroduto da Anglo American


postado em 14/03/2018 18:16 / atualizado em 14/03/2018 21:32

O abastecimento de água foi retomado de forma provisória e parcial em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata mineira. Uma adutora superficial abastece a cidade nas partes baixas. Nos terrenos mais altos, ele está sendo complementado por meio de caminhões-pipa providenciados pela mineradora Anglo American, que teve na segunda-feira tubulação de mineroduto no município rompida. Depois do acidente, o fornecimento de água foi cortado.

Uma adutora definitiva no subsolo começou a ser construída nesta quarta-feira e deve ficar pronta na sexta. A autorização foi viabilizada por meio de outorga emergencial concedida pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

A Anglo American deve ser autuada nesta quinta-feira por causa do acidente. A  Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) informou que notificou no auto de infração que quer acompanhar a investigação semanalmente. Ou seja, a pasta quer ter acesso a todas as informações da investigação que a empresa está realizando.


Em nota, a Anglo American disse que "o município de Santo Antônio do Grama (MG) retomou, de forma gradativa, o abastecimento de água pela Copasa. A cidade começou a ser abastecida às 0h20 desta madrugada, inicialmente, nas partes baixas. A Anglo American está complementando o abastecimento nas partes altas, por meio de caminhões-pipa. O sistema de abastecimento alternativo, com uma adutora superficial instalada provisoriamente pela Anglo American, começou a funcionar às 18h de ontem (13/3), com a captação no ribeirão Salgado para os dois reservatórios da Estação de Tratamento de Água (ETA) em Santo Antônio do Grama. Esse sistema de abastecimento alternativo roda com captação de 7 litros por segundo".

 


O Ministério Público Federal (MPF) abriu inquérito para investigar o rompimento da tubulação. O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG também investiga o caso. Nesta terça-feira, o órgão pediu o bloqueio imediato de R$ 10 milhões da Anglo American. 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade