Publicidade

Estado de Minas

Trégua na chuva deve durar até quinta-feira em Belo Horizonte

Período mais seco está previsto até o fim da semana, quando novo fluxo de umidade deverá chegar a Minas Gerais, trazido por uma frente fria, e poderá provocar pancadas de chuva


postado em 13/03/2018 06:00 / atualizado em 13/03/2018 09:19

(foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press )
(foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press )
Após muitos dias de chuva, diga-se muita chuva, a previsão da meteorologia é que Belo Horizonte e boa parte das regiões de Minas experimentem períodos mais secos. Mas nada que se estenda muito. A pequena trégua deve durar até quinta-feira. Mas já a partir de sexta a expectativa é que o tempo mude e a umidade volte a nos fazer companhia com a chegada de nova frente fria. Até lá, no entanto, as temperaturas devem ficar em torno de 30 graus, podendo, em alguns horários da tarde, ultrapassar essa marca ficando na casa dos 32°C.


“Há uma frente fria próxima a São Paulo e deve provocar chuvas isoladas a partir de sexta-feira e no fim de semana. Temos expectativa de no período chova até 60mm no acumulado do período”, afirmou Dayan Carvalho, meteorologista da Defesa Civil de Belo Horizonte. Ainda segundo ele, mais próximo do final desta semana será possível precisar melhor a intensidade das chuvas e qual o volume e a periodicidade da precipitação.


De acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), todas as regiões, principalmente devido à umidade dos últimos dias, devem ter pancadas de chuva isoladas e temperaturas elevadas. O instituto, no entanto, acrescenta sol à sexta-feira, mas prevê trovoadas isoladas, principalmente no Noroeste, Norte, Jequitinhonha, além do Sul e Sudeste do estado.


Desde o começo do mês de março, a Defesa Civil de Belo Horizonte registrou intenso volume de chuvas. Só nos primeiros 11 dias, a chuva foi quase duas vezes maior que a média histórica em todas as regionais. As regiões Oeste e Centro-Sul foram as mais atingidas. De acordo com o órgão, a média histórica em março é de 163,5 milímetros. Em todas as regiões da cidade o nível de precipitação superou a média. O excesso de água provocou inundações, quedas de barrancos e o desabamento de muros e casas.


No interior, a cidade de Ubá, na Zona da Mata, foi uma das mais atingidas. No temporal que ocorreu entre a tarde de sábado e a manhã de domingo, choveu 93 milímetros, de acordo com autoridades do município. O volume fez o Rio Ubá transbordar e levar enchentes a vários pontos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade