Publicidade

Estado de Minas

''Ouvi um barulho muito alto'', diz mulher sobre queda de muro no Bairro São Bento

Parte da quadra de esportes da residência e a grade de proteção desabaram na Rua Abel Araújo. Via está totalmente interditada


postado em 09/03/2018 15:07 / atualizado em 09/03/2018 15:50

O Corpo de Bombeiros foi até o local e, com ajuda de cães farejadores, procuraram por possíveis vítimas soterradas. Mas, mais tarde, constataram que não havia ninguém sob a terra(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
O Corpo de Bombeiros foi até o local e, com ajuda de cães farejadores, procuraram por possíveis vítimas soterradas. Mas, mais tarde, constataram que não havia ninguém sob a terra (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
“Estava chovendo muito forte. Eu estava na varanda e ouvi um barulho muito alto e, quando fui ver, o muro já tinha caído", contou uma testemunha da queda do muro de uma casa no Bairro São Bento, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, na manhã desta sexta-feira.

A doméstica Carla Marisqueira, de 47 anos, trabalha em uma das casas na frente de onde ocorreu o desmoronamento. Parte da quadra de esportes da residência e a grade de proteção desabaram na Rua Abel Araújo.

"Geralmente, esse horário tem muito carro na rua e funcionários chegando para trabalhar nas casas. Mas, graças a Deus, a rua não estava cheia. Mas, uma mulher machucou a boca e um homem quase foi pego pela terra,” completou Carla.

O Corpo de Bombeiros foi até o local e, com ajuda de cães farejadores, procurou por possíveis vítimas soterradas. Mas, mais tarde, os bombeiros constataram que não havia ninguém soterrado.

De acordo com a Defesa Civil, o morador foi notificado e deve apresentar um plano de ação para mitigação dos riscos, um laudo de estabilidade do restante do muro e providenciar remoção dos entulhos. Ainda segundo a corporação, a Avenida Professor Sylvio Vasconcelos está parcialmente interditada. Já a Rua Abel Araújo está totalmente fechada.

BALANÇO A Defesa Civil atendeu 89 ocorrências só na manhã desta sexta-feira. De acordo com o balanço divulgado no início da tarde, os casos mais frequentes em decorrências das chuvas foram: risco ou ameaça de escorregamento e deslizamento (11); trincas e infiltrações (8); desabamento parcial de muro de arrimo (6) e escorregamentos ou deslizamentos (6).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade