Publicidade

Estado de Minas

Dupla acusada de matar estudante de veterinária da UFMG será ouvida pela Justiça

Os homens são acusados de matar Gabriel de Araújo Oliveira, de 21 anos, enquanto ia para a casa de um amigo na Região Nordeste da capital. Uma testemunha de defesa também será ouvida no Fórum Lafayette


postado em 27/02/2018 17:08 / atualizado em 27/02/2018 18:30

(foto: Gabriel foi morto enquanto ia para a casa de um amigo, no Bairro São Gabriel)
(foto: Gabriel foi morto enquanto ia para a casa de um amigo, no Bairro São Gabriel)
Os acusados de matar o estudante de medicina veterinária da UFMG, Gabriel Araújo de Oliveira, de 21 anos, serão interrogados pela Justiça nessa quarta-feira, no Fórum Lafayette. No interrogatório, além de ouvir os réus, o juiz da 2ª Vara Criminal, Haroldo André Toscano de Oliveira ouvirá, também, uma última testemunha de defesa. O assassinato aconteceu em fevereiro de 2017, após o jovem ser vítima de uma tentativa de assalto no Bairro São Gabriel, Região Nordeste de Belo Horizonte. É a terceira audiência sobre o caso. 

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Roberth Silva e Marcos Souza estão sendo acusados por latrocínio – roubo seguido de morte – e corrupção de menor de idade. Na época, um adolescente teria participado do assassinato do estudante. Desde março do ano passado, os dois acusados estão presos na Penitenciária José Maria Alckimin, em Ribeirão das Neves, e no Presídio de São Joaquim de Bicas, também na Grande BH, respectivamente. Eles têm ampla ficha criminal.

O crime aconteceu há um ano, quando Gabriel ia andando para a casa de um amigo enquanto mexia no celular após sair de uma quadra de futebol. De acordo com a Polícia Civil, o trio, dividido em duas motos, andava pela rua Ilha da Malta já com a intenção de assaltar. Na época, os policiais civis informaram que os acusados abordaram o estudante com o interesse em roubar o aparelho, mas, enfrentaram uma luta corporal.

Neste momento, Roberth, que estava pilotando uma das motos, efetuou o disparo no tórax do estudante, acertando a veia cava e perfurando dois pulmões. No dia, Gabriel ainda foi socorrido por policiais militares ao Hospital Risoleta Tolentino Neves, em Venda Nova, mas a morte logo foi atestada pelos médicos.

Uma denúncia feita pelo Disque Denúncia (181) foi o que auxiliou as investigações da PC, que conseguiu remontar a ocorrência, identificar e localizar os suspeitos. Os dois ainda atribuíram o disparo ao jovem menor de idade. No entanto, as apurações derrubaram essa hipótese. Os dois foram apresentados em abril de 2017, mas negaram envolvimento no homicídio. Eles podem pegar de 20 a 30 anos de cadeia.

*Sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade