Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil prende dupla suspeita de traficar drogas com 'selo de qualidade'

Com os criminosos, agentes encontraram quatro quilos de cocaína com a marca de uma maçã, que representaria 'pureza' e 'origem'


postado em 02/02/2018 20:55 / atualizado em 02/02/2018 21:01

(foto: Polícia Civil/Divulgação)
(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Com o objetivo de desarticular organizações criminosas e apreender drogas nos dias que antecedem o carnaval, a Polícia Civil prendeu dois homens suspeitos de tráfico. De acordo com a corporação, com a dupla, que atuava nos bairros Madre Gertrudes e Inconfidência, ambos na Região Oeste de Belo Horizonte, foram encontrados quatro quilos de cocaína com "selo de qualidade". As prisões fazem parte da Operação Folia.

Nesta sexta-feira, a polícia informou, por meio de coletiva de imprensa, que as prisões de F. S., de 30 anos, e M. O., de 31, foram feitas enquanto os dois trocavam drogas – marcadas com a marca de uma maçã, semelhante a da Apple, que representaria pureza do entorpecente –, que seriam distribuidas posteriormente. "Essa marca é o selo de qualidade, pureza e origem da droga. Cada organização criminosa tem a sua", disse o delegado Windsor de Mattos Pereira, responsável pelas apurações.

“A apreensão dessa grande quantidade de drogas representa um duro golpe no tráfico de drogas, em especial à microtraficância instalada no Bairro Madre Gertrudes e imediações”, informou ainda o delegado. As apurações permanecem para que coautores sejam identificados.

CERTIFICADO Nessa quarta-feira, outra fase da Operação Folia prendeu três pessoas e apreendeu 127 barras de maconha – totalizando 100 quilos da droga – com a marca de um escorpião, que também representaria pureza do entorpecente. Cada quilo do "verdão", como é conhecido no tráfico, equivale a R$ 2 mil. Assim, estima-se um prejuízo de quase R$ 200 mil à venda de drogas. 

Os três serão indiciados por tráfico de drogas e associação criminosa para o tráfico, cujas penas podem somar de oito a 25 anos de prisão.

*Sob supervisão da subeditora Regina Werneck

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade